Escolha uma Página
Funpresp-Jud realiza curso in company em parceria com UniAbrapp

Funpresp-Jud realiza curso in company em parceria com UniAbrapp

A Funpresp-Jud promoveu no dia 12 de fevereiro o curso in company Conduta, Ética e Integridade no contexto das Entidades Fechadas de Previdência Complementar – EFPC, em parceria com a UniAbrapp. O curso foi destinado a todos os empregados e Conselheiros da entidade, realizado no formato online e ministrado pela especialista da UniAbrapp, Adriana de Carvalho Vieira.

Segundo a Funpresp-Jud, a capacitação está diretamente relacionada ao objetivo Estratégico 4 da entidade, que é ter práticas de gestão eficiente, transparente e com foco em resultado. No curso, foram apresentados alguns conceitos dos tipos de planos de benefícios, legislação sobre os tipos de regimes para aposentadoria, suas particularidades (obrigatório ou facultativo), e a legislação que instituiu o regime de previdência complementar dos servidores públicos federais, a Lei 12.618/2012.

Adriana destacou a importância de que os participantes tenham a percepção de transparência para ter confiança na fundação. Ela explicou ainda sobre o dever fiduciário que os empregados devem ter com o objetivo social da entidade e do plano de benefícios; as novas legislações dos últimos anos, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e resoluções; e alertou sobre o risco de integridade e a importância dos dirigentes agirem com diligência, independência, lealdade e prudência, bem como aprimorar o processo decisório baseado em relatórios, dados e com a definição clara de alçadas. Ela explicou ainda quais são os papéis dos Conselhos, Comitês, Diretoria e empregados, responsáveis pela boa conduta, ética e integridade dentro da entidade.

O Diretor de Administração, Marco Antônio Garcia, citou três momentos marcantes da fundação em que o tema Ética esteve presente. O primeiro foi em novembro de 2016, quando foi editado o Código de Ética e de Conduta da Funpresp-Jud e divulgado na área de transparência do site. O segundo, com a publicação da Resolução nº 10 do Conselho Deliberativo, em julho de 2020, com os Procedimentos Operacionais relacionados à recepção e ao processamento de denúncias ao Comitê de Ética e de Conduta. Ele ressaltou também o trabalho iniciado em janeiro de 2021 com o lançamento de uma campanha de divulgação de posts/pílulas com Reflexões sobre Ética e convite à releitura do Código por e-mail para os empregados, Diretores, Conselheiros e membros do Comitê de Auditoria, bem como postagem na rede social corporativa.

Giro das Associadas: Funpresp-Jud, Fapes e Eletros

Funpresp-Jud publica Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro – A Funpresp-Jud publicou sua Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo, elaborada em atendimento ao disposto na Instrução Previc nº 34, de 28 de outubro de 2020. Proposta pela Diretoria Executiva e aprovada pelo Conselho Deliberativo realizada em 10 de fevereiro de 2021, ela estabelece princípios e diretrizes para a implementação de procedimentos e controles internos a serem adotadas pela entidade

O documento trata as definições que devem ser observadas, tais como: lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo, operações e situações suspeitas, clientes e pessoa exposta politicamente; e define os papéis e responsabilidades para o cumprimento das obrigações.

A Política está publicada no site da fundação e será entregue aos seus empregados, parceiros e prestadores de serviço. Também será observado o tema prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo no plano de capacitação anual da equipe e conselheiros da Funpresp-Jud.

 

Fapes encerra 2020 com rentabilidade estimada em 5,9% – A rentabilidade da Fapes em 2020 está estimada em 5,9%. Segundo a entidade, a estratégia de diversificação da carteira de investimentos permitiu encerrar o ano positivamente, mesmo com toda a volatilidade do mercado financeiro. O desempenho, contudo, foi insuficiente para alcançar a meta atuarial projetada em 9,6%. Para adequar a meta atuarial à realidade do mercado, o Conselho Deliberativo decidiu por uma nova redução para 2021.

A Fapes investiu 10% da carteira em ativos no exterior, no limite do percentual permitido pela legislação. “As alocações foram feitas no início do ano e assim capturamos todo o movimento de valorização do dólar. A rentabilidade de nossa carteira no exterior foi de 52,3%”, afirma o Diretor de Investimentos, André Loureiro. Ao longo do ano, a fundação reforçou a liquidez para contornar impactos de curto prazo e selecionou novos gestores de fundos de ações, multimercado e de crédito privado, focados em obter rendimentos acima da média do mercado com horizonte de longo prazo.

Como parte do processo de diversificação, foi vendido um galpão considerado obsoleto e de alto custo, substituído por um fundo imobiliário com atuação mais ampla. A Fapes também aprovou uma estratégia de proteção de risco de cauda (tail risk), que visa reduzir a volatilidade da carteira em casos de crises como a vivenciada em função da pandemia.

 

Eletros lança plataforma de treinamento e capacitação – A Eletros lançou um Sistema de Gestão da Aprendizagem voltado para capacitação e treinamentos, o Eletros Transformar. Na plataforma, são disponibilizados cursos, treinamentos e palestras. A plataforma conta com o mecanismo de gamificação, visando aumentar o engajamento dos empregados com o sistema por meio de recompensas e marcos de conquistas.

Os cursos disponíveis no Eletros Transformar contam com certificados e os treinamentos com mais de 4 horas geram créditos no Programa de Educação Continuada (PEC) do ICSS. “A parceria com o ICSS é para nós um reconhecimento de que estamos no caminho certo e atesta ainda mais a importância deste projeto. A área de gestão de pessoas acredita que o aprendizado auxilia na construção de uma base sólida de gestão e conhecimento, além de introduzir conceitos e experiências que proporcionem o desenvolvimento de novas competências”, diz Simone Castelão, Gerente de Administração e Pessoal da Eletros e Coordenadora do Comitê de RH da Abrapp.

Elaine Oliveira, especialista da área de Gestão de Pessoas e responsável pela implantação do projeto, destaca que o projeto estimula os empregados a assumirem o protagonismo pelo desenvolvimento de suas carreiras. “Antes os treinamentos se resumiam basicamente a cursos presenciais, agora será possível participar de diversos cursos em uma plataforma online, utilizando diferentes ferramentas colaborativas como chats, comunidades virtuais, trabalhos em grupo e outros”.

Após gangorra, investimentos da Funpresp-Jud encerram 2020 com rentabilidade acima do esperado

Em um ano extremamente desafiador, as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) tiveram que mudar suas dinâmicas internas em 2020 para se adaptar às exigências impostas pelo isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19. Em pouco tempo, funcionários foram colocados em trabalho remoto e os gestores dos investimentos observaram as grandes oscilações do mercado. “Fomos, como todo mundo, ‘atropelados’ pela pandemia”, diz o Diretor-Presidente da Funpresp-Jud, Amarildo Vieira.

Ele conta que na fundação, não houve perda da qualidade do trabalho, aumentando a produtividade e sendo vislumbrada a possibilidade de estudar com seriedade o trabalho remoto constante. “Esse foi um passo, mas nos preocupamos e até hoje temos avaliado o retorno ao presencial, que só vai ocorrer quando for seguro para todo mundo”, diz Amarildo. Em relação aos investimentos, mesmo com quedas acentuadas da rentabilidade, houve ganhos de sucesso. “Foi uma verdadeira gangorra”, descreve o dirigente. “Vivemos uma montanha-russa, ora indo muito bem, e de repente muito mal”, diz.

Resultados – A Política de Investimentos da fundação já estava pautada, desde sua criação, em um um posicionamento mais conservador, sem expor os recursos à volatilidade de modo a promover educação financeira e previdenciária aos participantes. Com a queda da taxa de juros e a renda variável dando sinais de ser um grande veículo para investir, em 2020 o planejamento da entidade foi entrar com toda força no segmento. “Em março, contudo, tivemos uma perda expressiva, que foi recuperada em abril. Ficamos nessa gangorra e uma coisa que conseguimos fazer no sentido de manter a calma e tranquilidade nesse ambiente tão conturbado pelo qual passamos foi comunicar os participantes de que estávamos agindo bem no sentido de perseverar a integridade dos recursos”, explica Amarildo.

O Plano de Benefícios JusMP-Prev apresentou retorno de 3,23% em termos nominais e 1,86% em termos reais em dezembro de 2020, ficando acima do benchmark no mês, 1,71% em termos nominais e de 0,36% em termos reais. Segundo a entidade, esse foi o melhor resultado mensal, em termos nominais, desde o início do Plano de Benefícios. No acumulado de 2020, o Plano de Benefícios encerrou com retorno de 8,81% em termos nominais e 4,11% em termos reais, apenas ligeiramente abaixo da meta para o ano  – 8,84% em termos nominais e 4,13% em termos reais. As reservas do Plano de Benefícios encerraram 2020 com retorno de 8,90% em termos nominais e 4,19% em termos reais, superando o benchmark.

“O resultado do ano como um todo foi bom. Fomos resilientes, conseguimos manter a tranquilidade, investindo em título público, privado e no exterior. Mantivemos nossa posição na bolsa, não nos desfizemos de nada, não realizamos prejuízo, e colhemos o resultado. A reação foi bem tranquila, segura nesse período, e temos uma equipe bastante dedicada que conseguiu conduzir o destino da fundação com apoio da Diretoria para que passássemos por este ano de turbulência com bastante aprendizado. Chegar no final do ano com esses números é muito satisfatório”, ressalta.

Giro das Associadas: Funpresp-Jud, Funpresp-Exe e Viva Previdência

Funpresp-Jud publica Política de Relacionamento – A Funpresp-Jud publicou sua Política de Relacionamento, que pode ser consultada no site da Fundação. Proposta pela Diretoria Executiva e aprovada pelo Conselho Deliberativo, a Política estabelece princípios e diretrizes que norteiam o atendimento ao público de interesse da entidade, permitindo a consolidação da imagem institucional de credibilidade e de longevidade da fundação.

Dentre os princípios que devem ser seguidos pela Funpresp-Jud estão a construção de relacionamento com base na transparência das informações e nas condutas responsáveis; o oferecimento de atendimento de qualidade, que construa vínculos duradouros e em conformidade à legislação aplicável; a avaliação detalhada de críticas, elogios e sugestões para oferecer novos produtos ou serviços, adequar processos e aprimorar os serviços oferecidos; as informações sobre o Plano de Benefícios devem ser claras e objetivas; o atendimento de demandas deve ser tempestivo e conclusivo; e os colaboradores da área de relacionamento devem ter perfil adequado para o desenvolvimento de suas atividades e receber capacitação e orientação para oferecer atendimento de qualidade.

A Funpresp-Jud dispõe também de outras seis políticas que regem o seu funcionamento, dentre outros instrumentos normativos. São elas: Política de Investimentos, Política de Alçada Decisória, Política de Comunicação, Política de Gerenciamento de Riscos, Política de Segurança da Informação e Política de Gerenciamento de Riscos de Investimentos. Todas as normas internas estão disponíveis no site da fundação.

 

Funpresp-Exe registra aumento em aportes extras – Os participantes da Funpresp-Exe realizaram um total de R$ 14.893.181,16 em contribuições facultativas ao longo de 2020. O valor é maior que o registrado em 2019, quando foi atingida a soma de R$ 12.734.541,17.

Do total de aportes facultativos realizados em 2020, R$ 10.935.023,96 foram feitos por meio de boleto, por meio da chamada contribuição esporádica. Nessa modalidade, o participante faz contribuições na hora em que quiser, sem periodicidade definida. Já pelo aporte mensal, o servidor faz contribuições extras todos os meses, por meio do contracheque. No ano passado, foi feito um total de R$ 3.958.157,20 em aportes mensais.

Com a contribuição facultativa, o participante amplia a poupança previdenciária e ainda pode reduzir os valores pagos na declaração do imposto de renda. Ele pode alcançar até 20,5% de dedução fiscal (sendo 8,5% referentes às contribuições básicas mensais e 12% relacionados a contribuições facultativas) dos rendimentos tributáveis no ajuste anual. O percentual da dedução depende da remuneração bruta do participante e do tipo de vínculo com a fundação: Ativo Normal, Ativo Alternativo ou Autopatrocinado.

 

Viva Previdência obtém resultados positivos em 2020 – A Viva Previdência obteve resultados positivos em seus planos no ano passado, apesar do cenário difícil da economia e do mercado financeiro, em função da pandemia da Covid-19. O Viva Futuro, o plano mais novo da fundação, teve rentabilidade em dezembro de 0,92%, acima da meta referencial de 110% do CDI, que foi de 0,18%. No ano, a carteira consolidada registrou resultado positivo de 4,58%, atingindo 158% acima da meta, que foi de 2,90%.

A estratégia de investimentos do Viva Empresarial foi construída de forma a suportar as flutuações de mercado e foi voltada ao horizonte de retorno de longo prazo. Assim, apenas em dezembro, a carteira do plano obteve retorno positivo de 2,93%, diante de uma meta de 1,81%. No segmento de renda fixa, por exemplo, a valorização do Viva Empresarial em dezembro foi de 1,59%, superior ao CDI, que alcançou 0,16%. No ano, a rentabilidade foi de 3,32%, contra o CDI de 2,76%. Na renda variável, a carteira do Viva Empresarial valorizou 8,26% no mês, enquanto o Ibovespa subiu 9,30%. No ano, a carteira de renda variável registrou valorização de 2,18%, pouco abaixo do Ibovespa, que subiu 2,92%.

O Viva Pecúlio, plano mais antigo da entidade, valorizou 2,40% em dezembro, acima da meta atuarial de 1,80% no mês. No ano, a rentabilidade foi de 4,85%, abaixo da meta atuarial, que foi de 9,73%. Com mais de 50 mil assistidos em todo o país, a fundação tem hoje um patrimônio de cerca de R$ 3,5 bilhões.

Giro das Associadas: Sebrae Previdência, Funpresp-Jud e Eletros

Sebrae Previdência supera metas e planeja maior diversificação – No fechamento do ano de 2020, os resultados do Perfil Arrojado do plano do Sebrae Previdência apresentou rendimento bruto de 237% do CDI, ou seja, CDI + 3,79%. O Perfil Moderado apresentou resultado de 180% do CDI, o que representa CDI + 2,22%. Todos os principais benchmarks e a meta da Política de Investimentos da entidade foram superados. Já o perfil Conservador apresentou desempenho de 109% do CDI, o que representa CDI + 0,26%.

A entidade destaca que o ano de 2020 foi desafiador, com incertezas quanto aos impactos econômicos da pandemia que fizeram os preços dos ativos oscilarem como nunca. “A gestão do Sebrae Previdência precisou ser ágil e se adaptar velozmente para enfrentar esse cenário de tamanha turbulência. Ao final do ano, conseguimos demonstrar que grande parte das medidas tomadas foram corretas e os resultados de nossa carteira de investimentos servem de base comprobatória, com a superação de diversos indicadores de mercado”, destaca em comunicado.

O Sebrae Previdência reitera que para atingir bons resultados em 2020, foi feito uso das estratégias de diversificação de riscos e mitigação de perdas, utilizando ferramentas disponíveis no mercado financeiro. A entidade encerrou 2020 com patrimônio de R$ 963 milhões, sendo que o Plano Valor Previdência apresentou crescimento superior a 50%, ultrapassando a marca dos R$ 23 milhões.

De acordo com o Diretor de Administração e Investimentos, Victor Hohl, o Sebrae Previdência segue com o desafio de superar o patrimônio de R$ 1 bilhão este ano. “A Política de Investimentos para 2021, já aprovada, aponta para o aumento da diversificação da carteira, ampliando a parcela de recursos investidos no exterior, aumento da carteira de crédito e de produtos estruturados, bem como a ampliação da carteira de empréstimo aos participantes”, disse Hohl.

 

Funpresp-Jud recebe 25,57% de contribuições facultativas via Pix – O Pix, novo meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central, representou 25,57% do montante recebido pela Funpresp-Jud em contribuições facultativas no último bimestre de 2020. As modalidades TED e DOC representaram 32,20%, e as transferências, 42,24%. Em novembro, mês de início da operação do Pix, o valor recebido foi de R$ 4.400,20, Já em dezembro, o montante foi de R$ 442.343,33.

A principal característica do Pix é sua instantaneidade, sendo sua movimentação financeira imediata, além da ausência de custo da transação do Pix. Esses e outros fatores contribuíram para o aumento expressivo na movimentação de contribuições facultativas por esta via.

As contribuições facultativas esporádicas à Funpresp-Jud podem ser realizadas, de acordo com o regulamento do plano, em valores a partir de 2,5% da respectiva remuneração de participação, que corresponde à diferença entre o valor do teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e a remuneração considerada para a base de cálculo da contribuição à Funpresp-Jud.

 

Eletros atinge a meta atuarial em Plano BD – O Plano BD Eletrobrás, da Eletros, obteve rentabilidade apurada preliminarmente em 12% em 2020, superando sua meta atuarial para o ano, que deverá ser de 10,4%. “Cabe ressaltar que consideramos essa rentabilidade excelente para o participante, uma vez que a rentabilidade do Plano BD chegou a estar negativa em 11% em março de 2020”, diz Max Tavares, Diretor Financeiro da Eletros.

As estimativas preliminares para as rentabilidades de todos os perfis de investimentos dos planos CD e CVs são de aproximadamente 7%, variando de acordo com perfil de investimento. Tavares destaca que o ano de 2020 teve o desafio de superar a taxa de referência dos planos em um cenário de juros baixos no Brasil e no mundo, e em um mercado acionário que já vinha há alguns anos com altas sucessivas. “A chegada da pandemia mudou completamente as perspectivas econômicas para o ano”, diz.

Ele reitera que este cenário foi extremamente desafiador para a gestão dos investimentos da Eletros. “Diante das distorções nos preços dos ativos no mês de março, aumentamos a parcela de renda variável para os planos que possuíam limites disponíveis e, na renda fixa, direcionamos recursos para títulos longos indexados à inflação (NTN-B), comprando esses títulos com taxas bem acima daquelas praticadas no fechamento do ano anterior. Aqui cabe destacar que a compra de NTN-B foi importante para os perfis super conservadores, que não possuem ações, pois proporcionou a estes perfis uma rentabilidade bem acima das alternativas de mercado”.

A Eletros iniciou ainda uma diversificação na carteira de investimentos alocando recursos nos segmentos exterior e multimercados estruturados. “Acreditamos que a alocação nestes dois segmentos deverá fazer parte da carteira dos planos de forma mais presente diante dos desafios na busca por retorno”, destaca Tavares.

Para 2021, a estimativa é que haverá outro desafio para rentabilizar os planos. “As muitas incertezas políticas, o desequilíbrio das contas públicas e a ausência de convicção sobre a necessidade das reformas estruturantes nos fazem permanecer cautelosos”, complementa o Diretor.

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.