Escolha uma Página

Giro das Associadas: Prevcom, Funpresp-Exe e Petros

Investimentos no exterior impulsionam rentabilidade da Prevcom em janeiro – A carteira de investimentos da Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom) rendeu 0,64% em janeiro e superou o objetivo de IPCA + 4%, calculado em 0,58%. O resultado foi puxado pelos investimentos no exterior, segundo a entidade, sustentando a rentabilidade em um período em que o mercado doméstico passou a refletir incertezas relacionadas a questões fiscais, ao aparecimento de novas variantes do coronavírus e ao lockdown em vários países europeus.

“Estamos muito satisfeitos com os investimentos no exterior mesmo porque os melhores retornos vieram destas aplicações”, afirma o Presidente da Prevcom, Carlos Henrique Flory, em comunicado. A alternativa associada à alocação de capital em fundos estruturados compõem as linhas selecionadas para alavancar os ganhos dos planos de previdência complementar administrados pela fundação, que detém ainda um estoque de Notas do Tesouro Nacional-B, marcado na curva, que rende em média IPCA + 6%, com vencimentos até 2050. O pacote de títulos cumpre a função de defender a performance contra possíveis retrações e turbulências de curto prazo.

O desempenho mensal da entidade manteve sua consistência, apesar da instabilidade que fez a Bolsa de Valores recuar -3,32%. No comparativo em 12 meses, os recursos aplicados renderam 8,47%, próximo do alvo de 9%. O patrimônio da entidade alcançou o total de R$ 1,8 bilhão, sendo 75% investidos em renda fixa, 13% em multimercado, 7% em renda variável e 5% no exterior.

 

Funpresp-Exe lança consultora virtual – A Funpresp-Exe lançou a Vic, a consultora virtual de previdência complementar da fundação. O sistema de chatbot integra o conjunto de canais de atendimento da entidade. Disponível 24h por dia, sete dias por semana, a Vic possui um banco de mais de mil respostas para diferentes questionamentos. Até o momento, seu índice de exatidão nas respostas é de 67%. Quanto mais interação ela tiver, mais inteligente fica, o que significa que o sistema está em constante aprendizado e é aperfeiçoado permanentemente ao longo do tempo.

“A Vic agiliza o solucionamento de dúvidas e ajuda o participante de forma mais rápida e fácil. Com ela, estamos alinhados com o que o mercado tem de mais moderno em termos de atendimento e prestação de informações”, afirma a Coordenadora de Relacionamento e Atendimento da Funpresp-Exe, Sandi Gutierrez.

 

Conselho Deliberativo da Petros aprova regulamento das eleições deste ano – O Conselho Deliberativo da Petros aprovou o regulamento das eleições deste ano que vão definir uma dupla de titular e suplente para representar os participantes ativos e assistidos no Conselho e outra, também de titular e suplente, para o Conselho Fiscal. As duas duplas serão compostas por ativos dos planos administrados pela entidade e serão eleitas em pleito que contará com a participação de todos os inscritos nos planos até 28 de fevereiro de 2021.

Com a aprovação do regulamento, o próximo passo é a formação da Comissão Eleitoral, que contará com oito integrantes, sendo quatro indicados pela Petros e quatro representantes dos maiores sindicatos ou associações de participantes.

Aportes extraordinários e contribuições para planos família superam expectativas

Mesmo em um ano marcado pela pandemia, 2020 acentuou a tendência, já verificada em anos anteriores, de aumento dos aportes extraordinários para os planos de benefícios em várias entidades fechadas de previdência complementar (EFPC). Fundações como Prevcom, Funpresp, Postalis são alguns exemplos que tiveram maior volume de contribuições extras dos participantes no ano passado em comparação com o ano anterior.

Um outro fenômeno também reforça a tendência de aumento das contribuições para a formação de poupança previdenciária com gestão das EFPC, que é a formação de patrimônio dos planos voltados aos familiares também acima das expectativas. O crescimento dos aportes extras e a procura pelos planos família apontam para a pró-atividade do sistema de Previdência Complementar Fechada para captar e realizar a gestão da poupança das famílias para transformá-la em reservas previdenciárias de longo prazo.

Como vem apontando em suas análises o Professor e Pesquisador do IDP, José Roberto Afonso, nunca a poupança das famílias cresceu tanto em diversos países e também no Brasil, como em 2020. É o fenômeno que ele denomina de “poupança do medo”. O maior desafio agora é transformá-la em “poupança da esperança” e um dos caminhos apontados pelo pesquisador é o incentivo para canalizar esses recursos para planos previdenciários de longo prazo. Neste sentido, as entidades fechadas têm um papel e uma vocação para a gestão de tais planos e reservas previdenciárias.

A seguir mostramos alguns exemplos:

Prevcom – Os participantes dos planos da Prevcom transferiram R$3,75 milhões em contribuições voluntárias à carteira de investimentos em dezembro, valor seis vezes maior que os R$598 mil do mês anterior. O balanço anual de aportes facultativos revela que os servidores inscritos nos planos da Prevcom decidiram poupar em um período de restrições de viagens e festas impostas pela crise sanitária. No ano passado esta modalidade de aplicação somou R$7,55 milhões. Deste total, cerca de 50% correspondem ao resultado do último mês de 2020. O valor apurado em 12 meses registra crescimento de 12% em relação aos R$6,70 milhões do ano anterior, informa a entidade através de comunicado.

Funpresp – Os participantes da Funpresp (antes denominada Funpresp-Exe) realizaram um total de R$14,9 milhões em aportes facultativos ao longo de 2020. O valor é maior que o registrado em 2019, quando foi atingida a soma de R$12,7 milhões. “A crescente confiança na gestão da Funpresp é um dos fatores que levam ao aumento de solicitações de contribuições extras, mesmo em meio ao cenário de incertezas provocado pela covid-19. Somente em 2020, foram 10.852 pedidos ao total”, diz a Funpresp através de nota.

Postalis – O valor e o número de contribuições extraordinárias – adicionais às contribuições normais – feitas ao plano Postalprev, do Postalis, no ano de 2020, mais que dobraram, com crescimento foi de 109%. E considerando a quantidade de participantes que efetuaram estes depósitos, o número foi 103% maior do que no mesmo mês do ano anterior. É a maior quantidade registrada no Postalis desde 2014. “É um sinal da credibilidade do Postalis junto aos participantes, que enxergam no seu plano de previdência uma boa oportunidade de obter rentabilidade e benefícios fiscais no Imposto de Renda”, avalia o Diretor de Gestão Previdencial do Instituto, Carlos Alberto Zachert.

Prevaler – A Valia superou as metas e expectativas para as adesões e formação de patrimônio para seu plano família, o Prevaler, que foi lançado no final de 2019. A meta de alcançar 3500 participantes no primeiro ano de funcionamento foi cumprida rigorosamente. As adesões chegaram a exatos 3506 participantes no final do ano passado. Mas o resultado mais surpreendente foi o patrimônio que alcançou R$12 milhões, mais que o dobro da meta para o período, que era de R$5 milhões. O bom resultado é atribuído ao movimento de formação de poupança previdenciária por parte das famílias dos participantes. O tíquete médio e o alto número de aportes extraordinários impulsionaram a formação de reservas para o novo plano em 2020. “Tivemos algumas portabilidades para o Prevaler, mas o que foi mais positivo foi uma grande quantidade de contribuições extraordinárias. Isso demonstra um forte desejo de ampliar a formação da poupança”, conta Edecio Brasil, Diretor Superintendente da Valia.

Previ Família – Uma novidade importante para a Previ no ano passado foi o lançamento do novo plano voltado aos parentes dos participantes. O Previ Família foi lançado no mês de março do ano passado, um pouco antes da chegada da pandemia. Mesmo assim, a equipe da entidade decidiu manter o plano de divulgação e abertura para adesões, que resultou na entrada de 1123 novos participantes até o final de janeiro passado. O patrimônio do plano já atinge R$26,1 milhões. “Enfrentamos e superamos todos os desafios operacionais para lançar o novo plano. Hoje estamos muito felizes de contar com um público cada vez maior”, comenta Marcelo Otávio Wagner, Diretor de Investimentos da Previ.

Giro das Associadas: Serpros, Celos, Prevcom e Funpresp-Exe

Serpros publica novo regulamento Interno e Código de Conduta e Ética – O Serpros publicou no início de fevereiro seu novo Regulamento Interno do Serpros, bem como as novas versões dos Regimentos do Comitê de Ética e do Comitê de Aplicações, além do Código de Conduta e Ética. Citando a importância do Código de Condutas Recomendadas para o Regime Fechado de Previdência Complementar, publicado pela Abrapp, a Diretora-Presidente, Ana Costi, lemba que o Serpros já havia implementado, desde 2019, o seu Código de Ética e Conduta, que em sua nova versão passa a ser chamado Código de Conduta e Ética.

A Diretoria Executiva do Serpros se reuniu com os empregados em uma live destacando esses ajustes realizados para fazer face a novas exigências e processos. “Como defendido pelos membros da Comissão de Ética da Abrapp, que elaboraram a nova edição do Código, pressupõe-se que todos que trabalham em previdência complementar tenham ética, é um requisito básico. Já a conduta passa por outros aspectos. O mundo está mudando muito rápido, com isso, condutas que antes não eram consideradas ou aceitas, hoje são – como é o caso do trabalho remoto”, afirmou a Diretora Presidente do Serpros, Ana Costi, durante a live.

Ela informou que a entidade segue o prazo para o encerramento do exercício e a prestação de contas aos conselhos, à patrocinadora e à Previc de tudo o que foi realizado em 2020. “Estamos muito satisfeitos e seguros, porque os resultados foram muito positivos, apesar de todas as dificuldades que todos nós vivemos”, reforça. O Diretor de Seguridade e de Administração, Carlos Luiz de Oliveira, também falou sobre os resultados: “Sobrevivemos a um ano de muita luta … e uma coisa muito importante foi o desempenho que tivemos com os investimentos, principalmente no PS-I“, ressaltou. Já o Diretor de Investimentos, Sérgio Vieira, declarou que a entidade entregou um belo resultado em 2020.

Além disso, o Plano de Continuidade de Negócios do Serpros, colocado em prática logo no início da pandemia, em março de 2020, instituiu o regime de trabalho remoto aos empregados do Rio de Janeiro e de Brasília. Segundo a entidade, muitos os estudos afirmam que o home office veio para ficar e pode trazer benefícios às empresas e aos seus funcionários.

Para manter a qualidade de vida de seus funcionários diante dessa situação adversa,a o Serpros implantou o Programa Qualidade de Vida, por meio do qual são realizados encontros virtuais com especialistas em saúde mental, ergonomia, saúde bucal, dentre outras áreas. Também ocorrem happy hours virtuais e tradicionais eventos adaptados ao digital.

 

Celos pagou R$ 185 milhões em benefícios em 2020 – Em 2020, a Fundação Celesc de Seguridade Social (Celos) concedeu 412 novas aposentadorias e 64 novas pensões. Ao todo, foram mais de R$ 185 milhões pagos em benefícios. Em relação aos planos de saúde, foram mais de 210 mil consultas, 856 mil exames complementares, 4 mil internações e 117 mil procedimentos odontológicos. O montante dos recursos aplicados nesses serviços somou R$ 142,5 milhões.

“Mesmo em um ano atípico, muito difícil, a Celos manteve a qualidade em todos os seus serviços e com uma rentabilidade positiva em seus planos Misto e Transitório”, diz a Presidente da entidade, Vanessa Evangelista Ramos Rothermel, em comunicado.

 

Prevcom realiza palestra virtual sobre Covid-19 – A Fundação de Previdência do Estado de São Paulo (Prevcom) realizará uma live nesta próxima sexta-feira, 5 de fevereiro, às 11h com o médico fisiatra Renato Silva Martins, que atua na linha de frente do combate à doença no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC).

Na palestra virtual, os colaboradores da Prevcom poderão tomar contato com a situação da crise sanitária que afeta o mundo e tirar dúvidas com um profissional envolvido diretamente no trabalho diário de tratamento destes pacientes em uma das maiores instituições hospitalares do país.

 

Funpresp-Exe reduz juros de empréstimo consignado em até 42% – A Funpresp-Exe alterou a metodologia de cálculo das taxas de juros cobradas nos empréstimos consignados e, com isso, as taxas caíram em até 42%. O percentual médio cobrado pela fundação nesse tipo de operação é de 0,85%. A mudança metodológica foi aprovada pela Diretoria Executiva da Fundação na terça-feira, dia 2 de fevereiro.

A Diretoria aprovou também a extensão do prazo máximo de contrato para 96 meses, que até então era de 72 meses. A entidade informa que em breve a mudança estará disponível aos participantes, pois ainda são necessários alguns ajustes no sistema para que seja implementada.

Carlos Flory destaca governança, taxas e especialização como principais diferenciais das EFPC na gestão da previdência de servidores

Carlos Flory destaca governança, taxas e especialização como principais diferenciais das EFPC na gestão da previdência de servidores

Em meio a discussões sobre harmonização entre entidades fechadas e abertas para a gestão de planos de previdência para servidores públicos, dirigentes do sistema ressaltam os diferenciais das EFPC. O tema ganhou força após a Emenda Constitucional nº 103, de 2019, determinar que os entes federados constituam seus regimes de previdência complementar no prazo de 2 anos, abrindo para todas as entidades, tanto fechadas quanto abertas, a gestão e administração desses planos.

O desafio do sistema de previdência complementar está na necessidade de harmonização entre os dois sistemas, e estão sendo elaborados projetos de lei, com participação da Abrapp, para que essa compatibilização ocorra. Diante disso, o Diretor Presidente da Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom), Carlos Henrique Flory, destaca que a governança, as taxas e a especialização das EFPC são os grandes diferenciais perante as entidades abertas. “Nós somos especializados em servidor público. Nosso mundo é isso. A gente conhece o servidor, sabe do que ele precisa, e as abertas não têm experiência com esse perfil”, disse em entrevista ao Blog Abrapp em Foco.

Com 9 anos recém-completados, a Prevcom conta com 36,8 mil participantes e R$ 1,75 bilhão em patrimônio, e administra planos de servidores públicos de quatro estados – São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul – e de sete municípios – Birigui, Jales, Osasco, Guarulhos, Louveira, Ribeirão Preto e Santa Fé do Sul –, além da capital paulista. “Nossa comunicação tem preocupação com esse público. Nos comitês gestores, temos representantes de todos esses servidores dos vários órgãos de poderes do estado. Eles estão intimamente conectados com nossa gestão”, destaca.

Governança – Flory ressalta que a governança das EFPC de servidores públicos é um dos principais focos que dá ao participante a segurança de sua representatividade dentro das fundações. “Nossa estrutura de controle e governança é muito forte e rigorosa, e é obrigatória. Temos um Conselho Deliberativo paritário, com no máximo 6 membros, sendo que 3 são representantes do patrocinador e 3 são eleitos pelos participantes, e o voto de minerva é de um representante do patrocinador. No Conselho Fiscal são 4 membros, 2 representantes do patrocinador e 2 do participante, com o voto de minerva de um representante dos participantes. Além disso, não é obrigatório, mas é usual a criação de comitês gestores de planos”.

Segundo Flory, devido ao fato da Prevcom administrar diversos planos de diferentes entes, cada plano conta com um comitê gestor, independente dos conselhos, que já fiscalizam a gestão da entidade. “Temos obrigatoriamente um comitê de auditoria, que também fiscaliza tudo. E temos a Previc”. Ele ressalta que a Prevcom é classificada como uma Entidade Sistemicamente Importante (ESI) pela Previc, aumentando ainda mais a fiscalização, que passa a ser mais intensa e cotidiana pela autarquia.

Taxas – Flory destaca que a Prevcom não possui taxas de carregamento e conta com apenas 1% de taxa de administração. “Vemos planos de previdência aberta cobrando em torno de 2% a 3%. Isso faz uma diferença enorme em deixar o dinheiro aplicado por 20, 30 anos. Basicamente se tem a metade do capital por conta dessas taxas”, diz.

Para ele, a questão tributária é o principal ponto que deve ser tratado na harmonização entre as entidades fechadas e abertas para que a concorrência seja justa. “A previdência aberta tem benefícios tributários. Aprovada a Lei Complementar, esse diferencial de benefício tributário vai acabar. Os benefícios serão os mesmos”, reitera.

Foco previdenciário – Flory destacou ainda que hoje o sistema de previdência complementar fechada paga R$ 70 bilhões em benefícios aos seus aposentados por ano, reforçando o compromisso e foco na constituição da poupança previdenciária de longo prazo de seus praticantes. “Previdência, por definição, é de longo prazo. É para pensar em 30 anos”, ressalta.

Giro das Associadas: BB Previdência, Celos e Prevcom

BB Previdência tem novo Diretor Financeiro e de Investimentos – Gustavo Garcia Lellis assumiu a Diretoria Financeiro e de Investimentos da BB Previdência. Com sólida experiência no mercado e mais de 28 anos no Banco do Brasil, Lellis ocupava o cargo de Executivo da Diretoria de Suprimentos, Infraestrutura e Patrimônio (Disec) e atuava como Conselheiro Indicado pelo Banco do Brasil no Comitê BVEP de Assessoramento ao Conselho de Administração do BVEP – BV Empreendimentos e Participações S/A nas decisões de investimentos em empreendimentos imobiliários.

O novo diretor assume a vaga deixada por Adriana Teixeira, que se aposentou. Segundo a entidade, Lellis passa a fazer parte da Diretoria Executiva da BB Previdência em um momento de transformações na entidade. Desde a adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e à Resolução nº 32 do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), Lellis auxiliará a BB Previdência tanto no processo de transformação digital quanto na política de investimentos frente ao cenário de oscilações de mercado de 2020.

 

Celos inicia processo de venda de carteira de FIPs e créditos em default – A Fundação Celesc de Seguridade Social – Celos está realizando dois processos competitivos para a venda de cotas de Fundos de Participação – FIPs; e Créditos Privados em default – execução judicial. Os processos visam otimizar a carteira da fundação, abrindo espaço para investimentos em ativos que tragam maior retorno para a entidade.

A Celos informa que já mapeou algumas empresas especializadas nestes dois segmentos e enviará carta convite para verificar interesse em participar do processo. Caso mais alguma empresa especializada nestes segmentos tenha interesse em participar de um dos processos, o interessado deverá requerer ao e-mail dvgi@celos.com.br sua inclusão até a data de 15/01/2021.

 

Política de Investimento da Prevcom estabelece diretrizes e metas de retorno para 2021 – A Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (Prevcom) definiu as diretrizes e os parâmetros que devem regular a gestão dos recursos dos planos de benefícios administrados pela entidade. Os procedimentos, critérios, projeções macroeconômicas e metas de retorno, entre outros itens, constam da Política de Investimento aprovada pela instituição que permanecerá em vigor de janeiro a dezembro de 2021.

O documento está disponível no site da entidade e contém os princípios e normas que irão nortear as ações que serão desenvolvidas durante este período, balizando as decisões de conselheiros, diretores, administradores fiduciários, gestores de carteiras e órgãos de regulação e supervisão. O objetivo geral de rentabilidade da Prevcom permanece fixado no correspondente à variação do IPCA mais 4%.

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.