Escolha uma Página
Encontro +Conecta com Regional Nordeste reforça os benefícios da redução de custos e do relacionamento para melhor entrega

Encontro +Conecta com Regional Nordeste reforça os benefícios da redução de custos e do relacionamento para melhor entrega

O encontro +Conecta com a Regional Nordeste foi realizado nesta quinta-feira, 12 de março, encerrando a série de eventos promovida pela Conecta Soluções Associativas com todas as regionais da Abrapp. Os benefícios que a empresa gera ao sistema em termos de redução de custos, relacionamento e melhor entrega de soluções foram ressaltados pelos dirigentes da regional durante o encontro.

O Diretor Presidente da Abrapp, Luís Ricardo Martins, explicou que a Conecta foi criada à luz da discussão que se faz sobre compartilhamento de custos, e sua representatividade é gigante. “A Conecta é nossa e vem para criar potenciais soluções, com custo compartilhado, e que beneficiem esse ambiente coletivo”, disse. 

Ele reiterou que a estrutura de compartilhamento é o que possibilita o fortalecimento do sistema como um todo. “Compartilhar faz com que as coisas fiquem menos onerosas, e nosso propósito é ajudar nesse sentido”, disse. Luís Ricardo citou ainda a aproximação com startups para buscar alternativas de tecnologia para o sistema, e destacou a Central de Serviços como uma ferramenta facilitadora para auxiliar as entidades na venda de Planos Família. “A Conecta é nossa empresa, que vai trazer soluções para nosso dia a dia”.

O Superintendente Geral da Abrapp, Devanir Silva, pontuou que a Conecta é uma empresa do sistema, criada com o objetivo de ser facilitadora e buscar soluções associativas. “Essa é nossa missão. Estamos trabalhando intensamente nisso, principalmente focados em tecnologia. É o grande ganho que podemos oferecer aos nossos Associados em termos de custo e compartilhamento de soluções”, disse.

Nesse sentido, a série de encontros +Conecta veio para atualizar os dirigentes sobre as soluções disponíveis e fazer um trabalho de escuta para saber quais são as atuais demandas das entidades, conforme explicou a Superintendente Executiva da Conecta, Claudia Janesko. “O ano de 2020 foi desafiador, e tivemos que ajustar nossa operação e rever muita coisa para estarmos mais alinhados às demandas que vocês trazem”, destacou, iniciando a apresentação dos projetos nos quais a Conecta já atua.

Hub de previdência – Com o objetivo de conectar empresas, negócios, pessoas e EFPCs, a Conecta trabalha em projetos especiais que atuam para buscar as melhores soluções para todo o sistema de maneira escalável, com menor custo. Assim surgiu o Hupp, hub da previdência privada que conta, em seu primeiro ciclo, com 11 entidades parceiras que se disponibilizaram para testar soluções desenvolvidas por 17 startups também selecionadas por meio de um edital no ano passado.

As soluções serão aplicadas a partir de um diagnóstico inicial realizado no Planejamento Estratégico da Abrapp em 2020. “Isso facilitou a pesquisa de soluções na chamada de inscrições de startups”, explicou Claudia, reforçando que o Hupp está na fase de alinhamento entre entidades e startups para o desenvolvimento de soluções e das Provas de Conceito (POCs).

Plug and Play – Na vertente de parcerias, o objetivo da Conecta é levar às entidades soluções para as demandas já apontadas. “No caso do Hupp, são soluções mais complexas que entendemos que precisam de uma etapa de validação. Quando trazemos um parceiro direto, as soluções que eles possuem é o que chamamos de ‘plug and play’: soluções que já podem chegar e serem usadas de maneira mais imediata”, disse Claudia. “Quem dita a regra do jogo aqui são as entidades”, reiterou. “Não é a vontade do provedor de soluções que faz com que ele seja parceiro, e sim ter solução e condição alinhadas com o que o sistema pleiteia”.

Além de condições comerciais mais vantajosas, os parceiros devem manter um relacionamento de qualidade não somente no fechamento do contrato, mas durante toda a parceria com a EFPC. Atualmente, a Conecta trabalha com os seguintes parceiros: PFM; Perinity; Inovativadora; Contraktor; Agência Eureka; Comdinheiro; e Atlas. “Continuamos olhando soluções, e os apontamentos das entidades em relação às suas necessidades são importantes para construirmos novas parcerias”, reiterou Claudia. 

Vendas e atendimento – Novo braço da Conecta, a Central de Serviços trabalha com a prestação direta com foco em vendas e atendimento ao participante, atendendo a um pleito do próprio sistema, contando com uma estrutura de serviços compartilhados entre o ambiente. “A gente trouxe uma atuação completa em toda a jornada de aquisição do cliente”, explicou Claudia.

O processo da Central de Serviços abrange todas as etapas do funil de vendas, iniciando pela Atração do cliente, trabalhando com ações e campanhas de atração do grupo de participantes; passando pela Argumentação/Esquentamento, que conta com a Clara, um chatbot com inteligência artificial que vai atuar na fase de prospecção de clientes; Conversão, que é o fundo do funil e trata da parte ativa de vendas; até o Encantamento, última etapa que visa o atendimento ao cliente, fortalecendo essa relação e estimulando que ele faça indicações do plano para seus familiares. “Tão importante quanto trazer um novo participante para dentro é retê-lo em um relacionamento de longo prazo”, reforçou Claudia.

Ela disse ainda que em conversas com entidades, foi identificada uma grande dificuldade na venda de Planos Família, que é a de alcançar esse familiar. “Não temos informação nenhuma sobre os familiares. O grande desafio é saber quem é esse público e chegar a ele”. A Central se utiliza da automação para desonerar as entidades e manter a escalabilidade e volumetria do projeto.

Redução de custos e oferta de soluções – As entidades da Regional Nordeste questionaram sobre orientações acerca da Instrução Previc nº 34/2020, que trata da prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo. A discussão abordou os custos de se estruturar internamente comitês e equipes que sejam mobilizadas para atender às exigências da norma, principalmente para entidades menores.

Nesse sentido, Claudia Janesko explicou que a Conecta está em tratativas para oferecer uma solução que possa auxiliar na construção documental e na formação de políticas, observando as especificidades e complexidades de cada entidade. “A Instrução traz em seu escopo que as normas dependem do nível de risco e complexidade de suas operações, produtos e clientes”, disse, reiterando que os planos instituídos e família também serão olhados para que se tenha uma solução adequada em uma segunda etapa, diante do nível de complexidade maior que esses planos trazem. 

Ressaltando o trabalho realizado pela empresa, Jurandir Mesquita, Diretor Presidente da Capef, destacou que é preciso que as entidades busquem menores custos, e a Conecta oferece grande oportunidade na oferta de serviços e opções de empresas com soluções interessantes a um custo menor. “Esse caminho das startups e de outras empresas e serviços  que vocês estão oferecendo é uma grande oportunidade das entidades serem atendidas em seus anseios e dores”, reiterou.

Liane Chacon, Diretora de Seguridade e Benefícios da Néos, pontuou ainda a necessidade das entidades se unirem para gerarem melhores ganhos tanto à patrocinadora quanto aos participantes e assistidos. “Vocês estão trazendo ferramentas para o nosso dia a dia e o que esperamos é a melhor entrega”, disse, elogiando o trabalho da Conecta nesse sentido. 

Claudia reforçou que resultado e relacionamento é o que faz com que as entidades tenham relações mais duradouras. “Nosso olhar é de longo prazo. Prezar por isso é importante e continua alimentando um ciclo virtuoso de entregas diferenciadas”. 

Leia aqui sobre encontro +Conecta Regional Centro-Norte realizado em 2 de março.

Leia aqui sobre encontro +Conecta Regional Sudoeste realizado em 3 de março.

Leia aqui sobre encontro +Conecta Regional Sudeste realizado em 9 de março.

Leia aqui sobre encontro +Conecta Regional Leste realizado em 10 de março.

Leia aqui sobre encontro +Conecta Regional Sul realizado em 11 de março.

Projeto de Lei relacionado ao marco legal das startups propõe afrouxamento das regras de governança

Na sessão deliberativa da Câmara dos Deputados realizada nesta terça-feira, 8 de dezembro, foi aprovada a urgência para o PLP 146/19 – que dispõe sobre startups e apresenta medidas de estímulo à criação destas empresas. O objetivo do projeto é estabelecer incentivos aos investimentos por meio do aprimoramento do ambiente de negócios no país.

Um dos pontos polêmicos do PL é o afrouxamento de exigências de governança para empresas com faturamento anual abaixo de R$ 500 milhões. O projeto propõe a flexibilização de regras como a obrigatoriedade de formação de Conselhos de Administração e Fiscal para as empresas listadas em Bolsa. A medida pode afetar cerca de um terço das companhias de capital aberto na B3. Em 2018, 140 das 384 (36%) companhias listadas na Bolsa brasileira tiveram faturamento anual abaixo desse patamar.

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, publicada no último dia 7 de dezembro, a mudança preocupa entidades de governança e investimentos, que veem risco para a credibilidade do próprio mercado de capitais do país e tentam impedir sua aprovação. A Associação Brasileira dos Investidores no Mercado de Capitais demonstra preocupação, segundo a matéria do jornal, com as propostas de mudança.

“São requisitos de segurança ter conselho de administração, comitê de auditoria e no mínimo três anos de balanços auditados. O fato de se listar em bolsa exige um padrão mínimo de segurança”, afirmou Fábio Coelho, Presidente Executivo da Amec ao jornal.

O PLP 146/19 tramita relacionado ao PLP 249/20 (Institui o marco legal das startups e do empreendedorismo inovador), de iniciativa do Executivo. O relator da matéria é o deputado Vinicius Poit (Novo-SP).

Hupp terá programação exclusiva no Estande Conecta durante 41º CBPP

Hupp terá programação exclusiva no Estande Conecta durante 41º CBPP

Este ano, o 41º Congresso Brasileiro de Previdência Privada, realizado em formato 100% online e ao vivo, terá uma agenda dedicada ao Hupp!, hub da previdência privada organizado pela Abrapp e Conecta em parceria com a LM Ventures. As 17 startups integrantes do projeto estarão em programação especial dentro do Estande Conecta.

Durante os quatro dias de evento, as startups participarão de painéis sobre tecnologia dentro do estande, e os congressistas poderão interagir com as empresas para uma troca de informações. “A Conecta levará para dentro de seu estande o Hupp! e as startups com talk shows separados por blocos de assuntos. A ideia é as startups fazerem pitches de apresentações e depois abrir um espaço para o público fazer perguntas. Essa é uma das formas que estamos enxergando de trazer todas as entidades, e não somente as parceiras do Hupp, para interagir com as startups e se ambientar com esse universo de soluções que elas estão apresentando ao nosso sistema”, explicou Claudia Janesko, Superintendente Executiva da Conecta.

Confira a seguir a programação do Hupp no estande da Conecta durante o 41º CBPP:

  • 16/11 – 09h30 às 10h30Painel: Hupp! – Tecnologias para Compliance de Investimentos, Balanceamento de Carteira e Contas Digitais – Palestrantes: ALLÊ INVEST, INVESTTOOLS e TRAMPOLIN
  • 17/11 – 09h30 às 10h30- Painel: Hupp! – Tecnologias aplicadas para Marketing e Vendas em tempo de fomento – Palestrantes: OQ DIGITAL, GETMORE e SENTIMONITOR
  • 17/11 – 18h45 às 19h45- Painel: Hupp! – Tecnologias para BigData & Analytics para tomadas de decisão mais estratégicas – Palestrantes: DOM ROCK e ONCASE
  • 18/11 – 09h30 às 10h30- Painel: Hupp! – Tecnologias para maior alcance e impacto em Educação Financeira – Palestrantes: FUTURITOS e ONZE
  • 18/11 – 18h30 às 19h30 –Painel: Hupp! – Tecnologias para Segurança & CyberSecurity em tempos de adesão digital e LGPD – Palestrantes: SAFFE, IDWALL e INOVAMIND
  • 19/11 – 09h30 às 10h40 – Painel: Hupp! – Tecnologias para BackOffice para melhoria de eficiência operacional – Palestrantes: NOGORD.IO, UBOTS, ASAAS e PROJURIS

Acompanhe no Blog Abrapp em Foco as demais ações da Conecta durante o 41º CBPP. Confira também a programação do Congresso e garanta sua vaga no maior evento de previdência privada do mundo!

Participante do Hupp, Asaas é uma das semifinalistas do Startup Awards

Participante do Hupp, Asaas é uma das semifinalistas do Startup Awards

A Asaas, uma das startups selecionadas para o Hupp, hub de previdência complementar organizado pela Abrapp em parceria com a Conecta e a LM Ventures, é uma das semifinalistas do Startup Awards, principal prêmio de startups do país organizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups). O prêmio, que chega a sua oitava edição, tem como objetivo reconhecer os profissionais e empresas mais influentes do setor, com 10 indicados em 15 categorias, sendo que a Assas concorre na categoria Startup do Ano.

Após votação realizada por membros da Academia Abstartups, três finalistas de cada grupo serão divulgados no dia 15 de outubro, e a premiação que anunciará os vencedores será no dia 23 de outubro, durante o CASE Startup Summit 2020, maior evento da América Latina 100% focado no segmento de startups, realizado pela Abstartups, pela Associação Catarinense de Tecnologia, e pelo Sebrae Nacional.

A Asaas possui 140 pessoas em um time focado em desenvolvimento, inovação, tecnologia, e no cliente. “Apesar de sermos uma startup, temos uma operação bastante madura”, diz Marcelo Vital, Head de Vendas e Novos Negócios da Asaas. Marcelo participará nesta sexta-feira, 2 de outubro, de um dos painéis do 2º Encontro Nacional de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp discutindo gestão digital da comunicação e do relacionamento junto a Claudia Janesko, Superintendente Executiva da Conecta; Rafael de Paula Souza, Co-Founder & CEO do Ubots e André Coelho, Founder & CEO da Saffe, startups participantes do Hupp; e Carla Pedroso Tassini, Coordenadora de Relacionamento e Comunicação da Visão Prev.

Marcelo conta que a Asaas está passando por um momento interessante, sendo indicada, além do Startups Awards, considerado o Oscar das Startups do Brasil, para o RA1000, selo criado com o objetivo de destacar as empresas que possuem excelentes índices de atendimento no Reclame Aqui. “O trabalho que estamos fazendo para atender o cliente mostra que estamos entregando a solução para a necessidade dele. Para estarmos concorrendo ao Startups Awards, estamos no caminho certo, entregando valor ao pequeno e microempreendedor”, destaca.

Asaas – A Asaas atua no segmento financeiro, sendo uma fintech homologada pelo Banco Central com 10 anos de atuação e mais de 30 mil clientes em todo o Brasil. “Somos uma plataforma de automação de cobrança em meios de pagamentos. Somos vistos como uma instituição de inclusão social, pois damos oportunidades ao não bancarizado de ter soluções financeiras não somente para ele, mas também para o microempreendedor”, explica Marcelo.

O principal core da Asaas é o micro e pequeno empreendedor, garantindo soluções para que, no momento que eles estiverem iniciando suas operações, não dependam de um banco. “Fizemos a plataforma pensando nisso, mas também para ajudá-los a receber. Hoje temos cobranças que podem ser feitas via boleto, cartão de crédito, depósito, e regras que ajudam de forma automatizada a pagar uma certa conta. Também trabalhamos com a negativação no Serasa”, conta.

Hupp – A Asaas está entre as 17 startups selecionadas para o Hupp, e Marcelo conta que a equipe está bastante animada em fazer parte dessa nova etapa da Abrapp. “Entendemos que as entidades estão com uma pegada forte em inovação, buscando soluções, abertos, com ideias novas, e com a experiência que eles possuem será uma troca bastante rica”, diz. “Pra gente é tudo muito novo, essa parte de previdência é algo que vamos aprender bastante, mas apesar de sermos uma plataforma de pagamentos, temos muitas categorias de negócios que atendemos. Estamos animados, porque vemos a aderência com as necessidades das entidades”.

Startups apresentam soluções em Day One do Hupp

Startups apresentam soluções em Day One do Hupp

Na segunda etapa do Day One do Hupp, hub da previdência privada organizado pela Abrapp e Conecta em parceria com a LM Ventures, as 17 startups selecionadas fizeram seus pitches. A reunião on-line uniu as entidades parceiras e as startups para apresentação sobre as demandas e soluções para o sistemas e teve a presença de mais de 60 participantes entre representantes das Entidades Parceiras, das startups, e da Conecta, Abrapp e LM Ventures. Na primeira parte da reunião, as 11 Entidades Parceiras apresentaram suas estruturas e expectativas com o projeto. Leia mais.

Durante os pitches, as startups apresentaram seu histórico, os produtos e serviços oferecidos e como as soluções podem atender às demandas mapeadas pelas EFPCs com sendo as maiores dores do sistema hoje. Entre as soluções apresentadas estão meios de pagamento e soluções financeiras, jornada do cliente, retenção e engajamento, educação financeira, atendimento e segmento jurídico.

Luis Macedo, CEO da Allê Invest, iniciou as apresentações e destacou que no Hupp, as soluções exploradas pela empresa estão relacionadas a Robô Advisor e gestão de carteiras, consolidador de investimento, user experience, simuladores de previdência e inteligência artificial. Ele explicou que o Robô Advisor é um sistema de gerenciamento de riqueza on-line autoguiado que fornece consultoria de investimentos automatizada 24 horas por dia, 7 dias por semana. “A gente fornece também APIs e plataforma de gestão de investimento. A ideia do Robô Advisor é acompanhar a vida do usuário através do life planning”. Ele explicou com detalhes o funcionamento da solução.

A Asaas é uma empresa qualificada como uma instituição de pagamentos. Para apresentar suas soluções, Marcelo Vital, Head de Vendas e Desenvolvimento de Negócios, falou que a empresa abrange todos os métodos de pagamento, além de produtos complementares e do sistema de mensageria e cobrança de pagamentos em atraso. “Temos todas as soluções de pagamento e cobrança em um único lugar, e podemos oferecer de acordo com a necessidade do cliente. A gente faz ainda o processo de prospecção, vendas, receitas, contas a pagar, até a parte de compliance e nota fiscal”. Além disso, a Asaas também faz emissão de cartões com card design personalizado, e se prepara para trabalhar com o PIX.

Andre Almeida, Presidente e fundador Dom Rock, contou que o principal objetivo da empresa é ser uma plataforma de inteligência operacional. “Temos o atributo da automação e da otimização na análise de dados, transformando essas informações em algoritmos de inteligência e, posteriormente, distribuindo a parte analítica para quem vai consumir”. Ele demonstrou alguns cases de como a plataforma atua em determinados segmentos.

Para falar sobre a Futuritos, o CEO Joubert Mesquita fez uma apresentação sobre o histórico da empresa, que já tem atuação em poupança e no mercado segurador. “Idealizei o Futuritos no sentido das famílias terem o olhar para o futuro com suas crianças, introduzindo conceitos de educação e liberdade financeira”, contou. Ao analisara realidade do mercado, Mesquita se deparou com produtos que têm baixa atratividade e retenção. “Pensando nisso, criamos uma plataforma através da qual, com um processo simplificado, conseguimos envolver toda a família na educação financeira e previdenciária, com foco nas crianças”, disse. A proposta de valor da Futuritos está em criar uma experiência melhor na contratação e acompanhamento desse tipo de produto, gerando maior atratividade e retenção. “Podemos ajudar na expansão de planos familiares e fidelizar essas carteiras”.

Daniel Radicchi, CTO e sócio da Getmore, apresentou as soluções da empresa voltada para o mercado B2B. “Somos uma empresa de software e temos quatro unidades de negócios: produto de cash-in para contas e cartões; projetos especiais de incentivos; cashback no comércio local; e coalizão Plug & Play”.

Trabalhando na facilitação de captação de clientes e validação do cadastro, a Idwall teve sua solução de onboardingapresentada por Igor Moraes Gonçalves, desenvolvedor de negócios da empresa. “Vemos que hoje 40% das pessoas desistem antes de terminar um processo de cadastro em uma plataforma digital. Por outro lado, o onboarding é uma vantagem competitiva”. Ele destacou o processo simples de cadastramento do usuário na plataforma, validando a legitimidade do cliente e, assim, garantindo um processo rápido e com menos fraude no cadastramento, além de fazer prova de vida e background check por meio de uma integração com outras bases para validar o usuário. As tecnologias são usadas via API, SDK ou Dashboard.

Jung Park, fundador e CEO da InovaMind, apresentou uma plataforma na mesma linha, com especialização em inteligência artificial, big data, analytics, computer vision e soluções de machine learning, oferecendo também um processo de onboarding abrangendo todos os serviços de cadastro do cliente. “A gente faz verificação da imagem e dados contidos no documento do cliente na hora do cadastro”.

A Investtools, focada em soluções para o mercado financeiro, destaca que oferece soluções para gestão de investimentos. O CEO David Gibbin explicou que a empresa já atua com grandes gestoras no Brasil, e no Hupp há um alto grau de aderência para o produto, possibilitando que ele seja adaptado para entender o sistema. “O momento do mercado é importante, com mudanças estruturais para o mercado, e estamos em momento de difusão e alinhamento”.

A Nogord.io é uma ferramenta com automação de regras de decisão sem código e sem operação. Vitor Discacciati, COO da empresa, deu exemplo de como é feita a automação de regras de decisão dentro da plataforma, desde a concepção da ideia até o código que será implantado no core da companhia. “A gente propõe uma interface intuitiva onde o próprio usuário consegue desenhar um fluxograma e a plataforma traduz regras de negócios e código, gerando um serviço a ser consumido por outros sistemas”.

Iandé Bailey Coutinho, CEO da Oncase, apresentou a empresa de big data e analytics que tem como foco extrair o valor dos dados, reduzindo tempo de análise, atendimento e aumentando engajamento. “Ajudamos as organizações a construírem uma estratégia de dados e também produtos mais verticais. O objetivo é atender toda a jornada do cliente e captação até recomendar ofertas e entender a demanda do mercado para saber quais produtos se deve ofertar e para quais clientes”.

Em relação à Onze, Henrique Carvalho, Diretor Comercial da empresa, destacou a atuação direta na previdência aberta e agora voltada a desenhar soluções para a previdência fechada. “Criando a Onze a gente percebeu necessidades da previdência e estruturamos nossa oferta em três pilares. Uma delas é a tecnologia dividida em aplicativo para o colaborador para que ele tenha autonomia e engajamento, e em plataforma de RH, que traz indicadores de adesão, contribuição e investimento”. A Onze oferece ainda uma plataforma de marketing e distribuição, que pode ajudar na expansão de produtos. “A terceira frente é o módulo de saúde financeira”, complementou.

Cadu Senna, fundador e CEO da OQ Digital, destacou que a plataforma tem como objetivo explorar o conceito de indicação como a melhor forma de captar clientes. “Quando estimulados, seus participantes são os melhores canais de comunicação”. Assim, a plataforma visa estimular participantes a serem influenciadores nos produtos através de relacionamento, recomendação e reconhecimento, conteúdo de educação financeira, e conteúdos relevantes e recorrentes para a formação de uma comunidade on-line.

Adiel Rodrigues, representante da Projuris, apresentou como a plataforma voltada para o setor jurídico consegue reduzir custos e riscos e promover melhorias de gestão. “Fazemos gestão de documentos, visando o papel zero. Também conseguimos, através da automação, monitorar tribunais, agências reguladoras, entre outros. Além disso, vemos em andamento intimações e autuações digitais. Outra dor comum da previdência é o provisionamento e contingência, e oferecemos esse serviço”. Ele contou ainda que a Projuris trabalha com controles de garantia e conciliação e integrações com sistema internos. “A gente interage com especialistas de diversas maneiras, de forma embarcada”, complementou. “Nossa mensagem é eliminar ineficiência do mundo jurídico”.

Isabella Jardanovski Strozberg, Operations Manager na Saffe, explicou que a empresa que é provedora de reconhecimento facial voltado para soluções financeiras. “Nosso principal caso de uso está no reconhecimento facial para realização de pagamentos seguros”, explicou.

O CEO da Sentimonitor, Hugo Pinto, apresentou a empresa de pesquisa e mapeamento de personalidade baseado em inteligência artificial. “Através de indicadores, gráficos e visualizações, é possível ter uma tomada de decisão”, disse. “Para cada indústria criamos uma camada de inteligência entregando os insights”. No contexto do Hupp, Hugo explica que o mapeamento de personalidade pode ajudar as entidades a identificarem as melhores maneiras de se comunicar com os clientes, o que ajuda também no jeito de vender.

Para apresentar a Trampolin, esteve presente na reunião Lucca Freire, responsável pela operação comercial da empresa, que trabalha com banking as a service. “Funcionamos de duas maneiras: entregamos as APIs de core banking, então cada produto é uma API diferente, ou entregamos com full service, construindo uma aplicação mobile customizada financeira para que nosso parceiro possa oferecer para seu usuário final. Somos uma fintech e ajudamos parceiros a lançarem produtos financeiros diferentes e rápidos para o mercado”. A empresa também oferecerá PIX e customiza produtos de cashback.

Rafael de Paula Souza, Co-Founder e CEO da Ubots, destacou que o objetivo da plataforma é fazer com que grandes empresas atendam e conversem com seus clientes de forma satisfatória e eficiente. “A gente oferece um chatbot, que pode ser criado, configurado e treinado pelas empresas, além de ter um módulo no qual o atendente humano pode conversar com o cliente, um módulo analítico sobre a performance do chatbot e dos atendentes, e um módulo de insights dos atendimentos”. Além disso, é oferecida uma consultoria por meio de um time de especialista que ajuda a criar o chatbot, canais e jornadas de conversas para os clientes.

A próxima etapa do projeto será fazer o match entre startups e fundações para iniciar o trabalho de evolução das soluções e, posteriormente, trabalhar as Provas de Conceito (POCs). Siga acompanhando o projeto do Hupp no Blog Abrapp em Foco!

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.