Escolha uma Página

Aportes extraordinários e contribuições para planos família superam expectativas

Mesmo em um ano marcado pela pandemia, 2020 acentuou a tendência, já verificada em anos anteriores, de aumento dos aportes extraordinários para os planos de benefícios em várias entidades fechadas de previdência complementar (EFPC). Fundações como Prevcom, Funpresp, Postalis são alguns exemplos que tiveram maior volume de contribuições extras dos participantes no ano passado em comparação com o ano anterior.

Um outro fenômeno também reforça a tendência de aumento das contribuições para a formação de poupança previdenciária com gestão das EFPC, que é a formação de patrimônio dos planos voltados aos familiares também acima das expectativas. O crescimento dos aportes extras e a procura pelos planos família apontam para a pró-atividade do sistema de Previdência Complementar Fechada para captar e realizar a gestão da poupança das famílias para transformá-la em reservas previdenciárias de longo prazo.

Como vem apontando em suas análises o Professor e Pesquisador do IDP, José Roberto Afonso, nunca a poupança das famílias cresceu tanto em diversos países e também no Brasil, como em 2020. É o fenômeno que ele denomina de “poupança do medo”. O maior desafio agora é transformá-la em “poupança da esperança” e um dos caminhos apontados pelo pesquisador é o incentivo para canalizar esses recursos para planos previdenciários de longo prazo. Neste sentido, as entidades fechadas têm um papel e uma vocação para a gestão de tais planos e reservas previdenciárias.

A seguir mostramos alguns exemplos:

Prevcom – Os participantes dos planos da Prevcom transferiram R$3,75 milhões em contribuições voluntárias à carteira de investimentos em dezembro, valor seis vezes maior que os R$598 mil do mês anterior. O balanço anual de aportes facultativos revela que os servidores inscritos nos planos da Prevcom decidiram poupar em um período de restrições de viagens e festas impostas pela crise sanitária. No ano passado esta modalidade de aplicação somou R$7,55 milhões. Deste total, cerca de 50% correspondem ao resultado do último mês de 2020. O valor apurado em 12 meses registra crescimento de 12% em relação aos R$6,70 milhões do ano anterior, informa a entidade através de comunicado.

Funpresp – Os participantes da Funpresp (antes denominada Funpresp-Exe) realizaram um total de R$14,9 milhões em aportes facultativos ao longo de 2020. O valor é maior que o registrado em 2019, quando foi atingida a soma de R$12,7 milhões. “A crescente confiança na gestão da Funpresp é um dos fatores que levam ao aumento de solicitações de contribuições extras, mesmo em meio ao cenário de incertezas provocado pela covid-19. Somente em 2020, foram 10.852 pedidos ao total”, diz a Funpresp através de nota.

Postalis – O valor e o número de contribuições extraordinárias – adicionais às contribuições normais – feitas ao plano Postalprev, do Postalis, no ano de 2020, mais que dobraram, com crescimento foi de 109%. E considerando a quantidade de participantes que efetuaram estes depósitos, o número foi 103% maior do que no mesmo mês do ano anterior. É a maior quantidade registrada no Postalis desde 2014. “É um sinal da credibilidade do Postalis junto aos participantes, que enxergam no seu plano de previdência uma boa oportunidade de obter rentabilidade e benefícios fiscais no Imposto de Renda”, avalia o Diretor de Gestão Previdencial do Instituto, Carlos Alberto Zachert.

Prevaler – A Valia superou as metas e expectativas para as adesões e formação de patrimônio para seu plano família, o Prevaler, que foi lançado no final de 2019. A meta de alcançar 3500 participantes no primeiro ano de funcionamento foi cumprida rigorosamente. As adesões chegaram a exatos 3506 participantes no final do ano passado. Mas o resultado mais surpreendente foi o patrimônio que alcançou R$12 milhões, mais que o dobro da meta para o período, que era de R$5 milhões. O bom resultado é atribuído ao movimento de formação de poupança previdenciária por parte das famílias dos participantes. O tíquete médio e o alto número de aportes extraordinários impulsionaram a formação de reservas para o novo plano em 2020. “Tivemos algumas portabilidades para o Prevaler, mas o que foi mais positivo foi uma grande quantidade de contribuições extraordinárias. Isso demonstra um forte desejo de ampliar a formação da poupança”, conta Edecio Brasil, Diretor Superintendente da Valia.

Previ Família – Uma novidade importante para a Previ no ano passado foi o lançamento do novo plano voltado aos parentes dos participantes. O Previ Família foi lançado no mês de março do ano passado, um pouco antes da chegada da pandemia. Mesmo assim, a equipe da entidade decidiu manter o plano de divulgação e abertura para adesões, que resultou na entrada de 1123 novos participantes até o final de janeiro passado. O patrimônio do plano já atinge R$26,1 milhões. “Enfrentamos e superamos todos os desafios operacionais para lançar o novo plano. Hoje estamos muito felizes de contar com um público cada vez maior”, comenta Marcelo Otávio Wagner, Diretor de Investimentos da Previ.

Valia: Forte crescimento do plano família e recuperação dos investimentos marcam fechamento de 2020

Valia: Forte crescimento do plano família e recuperação dos investimentos marcam fechamento de 2020

Com o advento da pandemia e a alta volatilidade dos mercados, o ano de 2020 tinha tudo para acabar com resultados negativos. A crise que impactou a Bolsa em março e seguiu com oscilações no segundo semestre gerava preocupações. Além disso, a Valia tinha acabado de lançar o Prevaler, o novo plano voltado aos familiares de participantes, no final de 2019. No encerramento do ano passado, porém, os resultados e cumprimento dos objetivos se mostraram bastante satisfatórios, com o atingimento das metas atuariais e com as adesões ao novo plano.

“Ainda não temos os resultados fechados e auditados, mas tudo indica que vamos bater as metas atuariais de nossos planos. É bastante provável que nossa rentabilidade irá ficar um pouco acima das metas, o que representa uma grande vitória para um ano difícil como foi 2020”, diz Edécio Brasil, Diretor Superintendente da Valia. Ele explica que até o mês de outubro havia uma forte incerteza e os indicadores apontavam para a possibilidade de não se alcançar as metas. Os resultados favoráveis em praticamente todas as classes de ativos em novembro e dezembro, contudo, mostraram uma forte recuperação para garantir o fechamento do ano no azul.

“Registramos uma arrancada muito positiva no final de 2020 tanto na renda fixa quanto variável. A carteira de imóveis que também preocupava, com o ambiente muito desafiador, conseguimos repactuar contratos com praticamente todos os inquilinos e pudemos reverter os resultados negativos”, comenta o dirigente da Valia. Ele destaca que nenhum plano da entidade apresenta déficit e continuam equilibrados mesmo após passar pelo período de pandemia e crise nos mercados de 2020.

Na carteira de títulos públicos, a Valia vendeu títulos mais longos para dar maior liquidez, em operações que foram positivas. A carteira de ações da entidade se beneficiou da alta da Bolsa doméstica do final do ano. Na classe de estruturados, o resultado também foi positivo puxado por um IPO (oferta pública inicial de ações) da Rede D’Or, que pertencia a um dos fundos de participações (FIP) da Valia.

Plano família – Além dos resultados favoráveis nos investimentos e planos, a Valia comemora também o desempenho do Prevaler em termos de adesões e formação de patrimônio. A meta de alcançar 3500 participantes no primeiro ano de funcionamento foi cumprida rigorosamente. As adesões chegaram a exatos 3506 participantes no final do ano passado, a maioria formada por filhos e netos de participantes da fundação. Mas o resultado mais surpreendente foi o patrimônio que alcançou R$ 12 milhões, mais que o dobro da meta para o período que era de R$ 5 milhões.

O bom resultado é atribuído ao movimento de formação de poupança previdenciária por parte das famílias dos participantes. O tíquete médio e o alto número de aportes extraordinários impulsionaram a formação de reservas para o novo plano em 2020. “Tivemos algumas portabilidades para o Prevaler, mas o que foi mais positivo foi uma grande quantidade de contribuições extraordinárias. Isso demonstra um forte desejo de ampliar a formação da poupança”, conta Edécio.

Em 2021, a equipe da Valia pretende ampliar o crescimento do novo plano, com o incentivo à adesão, além dos filhos e netos, também com outros familiares como irmãos, sobrinhos, além dos cônjuges dos participantes. “Temos uma grande avenida de crescimento para nosso plano família”, afirma o dirigente.

Aprendizado – Edécio Brasil resume 2020 como um ano de “grande aprendizado” em relação ao funcionamento da entidade e da utilização de fato de novas tecnologias. Se antes da pandemia, a Valia já vinha realizando ações no sentido de avançar no uso dos meios digitais, durante o ano passado, a entidade e sua equipe tiveram de acelerar todo o processo de modernização do atendimento e funcionamento.

“Foi um ano transformador em que utilizamos a tecnologia no limite das possibilidades. Antes já vínhamos com esse movimento, mas não utilizávamos os recursos plenamente. É um período que marcará a entidade para sempre e que nos impulsionou para uma condição muito melhor agora”, diz Edécio. Ele destaca os ganhos de produtividade e eficiência em comparação com o momento anterior à pandemia.

A equipe da Valia continua trabalhando no sistema 100% home office. Atualmente está discutindo como será o retorno ao escritório, mas sem previsão para que isso ocorra. O retorno depende do avanço da vacinação e prevê a implantação de um regime misto de trabalho presencial e home office. O modelo será misto e definirá as áreas que irão retornar e com qual frequência.

Em relação aos investimentos da entidade, Edécio se mostra otimista com o desempenho dos mercados em 2021. “Acreditamos que será um ano de retomada para a economia e estamos atentos às oportunidades na gestão dos investimentos. Acredito que será ainda melhor que o ano anterior”, comenta.

Giro das Associadas: Valia, Fundação Copel, Funpresp-Jud e PRhosper

Valia participa da Semana ENEF – Pelo quarto ano consecutivo, a Valia participará da Semana Nacional de Educação Financeira – Semana ENEF, iniciativa que visa promover a educação financeira, securitária, previdenciária e fiscal no Brasil por meio de ações gratuitas realizadas por entidades públicas e privadas relacionadas ao tema. A Semana ENEF será realizada de 23 a 29 novembro e terá como tema: “Resiliência financeira: como atravessar a crise?”.

A Valia oferecerá um conteúdo diferente para cada dia do evento e tem como destaques quatro videoaulas com especialista em bem-estar, longevidade e prosperidade, e três lives sobre “Saúde financeira na pandemia”, “Uma jornada pelos investimentos” e “Como usufruir ao máximo do Benefício Fiscal de Imposto de Renda com a sua providência”. Todas as atividades serão exibidas nas redes sociais da Valia.

“Nosso propósito é ajudar as pessoas na construção de um futuro mais digno e sustentável e a educação financeira é um dos pilares principais para se alcançar esse objetivo. Temos muito orgulho de participar de um evento tão importante, de abrangência nacional, e sabemos da nossa responsabilidade em fomentar e democratizar a educação financeira”, destaca Elisabete Teixeira, Diretora de Seguridade da Valia.

Fundação Copel empossa membros Conselho Deliberativo – No dia 13 de novembro, foram empossados os novos conselheiros Marcos Antonio Brenny, Nivia Mara Lubas e Lindolfo Zimmer no Conselho Deliberativo da Fundação Copel. Estavam presente na cerimônia a Diretoria Executiva, o Presidente do Conselho Deliberativo, Hemerson Luiz Barbosa Pedroso, e os atuais conselheiros Luis Gustavo Socher e Cassio Vargas Pinto, bem como os ex-conselheiros Américo Antonio Gaion, Carlos Eduardo Felski e Roberto Pontedura.

Os ex-conselheiros falaram sobre os desafios da nova gestão e sobre as conquistas do ano. Já os empossados comentaram sobre as expectativas para os próximos anos.

Evento da Funpresp-Jud debate reformas administrativa e previdenciária – O Café com Representantes da Funpresp-Jud realizado online no dia 13 de novembro abordou o tema “Consequências das Reformas Administrativa e Previdenciária”. O objetivo do encontro foi destacar importantes pontos que impactam a vida do servidor e de seus familiares. Edmilson Enedino das Chagas, Diretor de Seguridade, fez a apresentação, mediada por Paolla Dantas, Gerente de Comunicação e Marketing.

Edmilson fez um histórico sobre o serviço público antes da Lei 8.112/1990 e destacou importantes aspectos do projeto de reforma administrativa, dentre eles, a substituição das funções públicas por vínculos precários; a extinção da reserva de cargos em comissão para os servidores de carreira; os critérios mínimos de acesso e exoneração por ato do chefe de cada Poder; a regra da vedação de acumulação para cargos típicos; e as novas regras para criação e extinção de cargos, dentre outras propostas.

Sobre a Reforma da Previdência, Edmilson destacou o objetivo de alcançar o equilíbrio financeiro e atuarial para o sistema e lembrou que até 1993, os servidores não pagavam previdência, de forma que o sistema já nasceu deficitário. “Com o envelhecimento da população e as novas regras da previdência é preciso estar atento à ameaça. A reforma da previdência já causa impactos e, muitas vezes, o servidor só percebe quando algo ocorre com ele ou com alguém ao redor”, disse. Edmilson destacou a importância de não abrir mão de alternativas como a previdência complementar oferecida pela Funpresp-Jud e a Cobertura Adicional de Risco de Morte e/ou Invalidez (CAR).

O Diretor-Presidente da Funpresp-Jud, Amarildo Vieira de Oliveira, fez o encerramento do evento destacando a importância de se conversar com pessoas de todo o país sobre temas de interesse do servidor, da sua proteção e da proteção de sua família. Para ele, a reforma previdenciária impacta até o servidor do regime anterior, com direito à paridade, e as informações repassadas no evento tiveram como objetivo sensibilizar para os novos desafios. De acordo com Amarildo, aqueles que migraram para o Regime de Previdência Complementar e não aderiram à Funpresp-Jud, bem como aqueles que tiveram adesão automática e pediram cancelamento ainda podem rever as suas decisões e considerar a previdência complementar fechada e a CAR como oportunidades de proteção diante das mudanças das regras.

Estiveram presentes na live representantes do TJDFT, TST, TRT-1, TRT- 4, TRT-7, TRT-14, TRT-18, TRT-21, MPT, PRT-16, PR-PI e PR-SE, além de alguns Conselheiros da Funpresp-Jud.

 

Arthur Pires assume a Diretoria de Seguridade e Operações da PRhosper – Arthur Pires assumiu a Diretoria de Seguridade e Operações da PRhosper Previdência Rhodia. Graduado em Ciências Atuariais pela PUC-SP e com MBA Executivo pelo Insper, Arthur Pires possui 17 anos de experiência em previdência complementar, com certificação pelo ICSS e pela Anbima (CPA-20).

Ao longo de sua carreira profissional, atuou em fundos de pensão de empresas como Nestlé/Funepp e Itaú-Unibanco, além de consultoria de previdência e benefícios na KPMG e Mercer. Na PRhosper Previdência Rhodia, iniciou sua trajetória em 2018, como Coordenador de Operações. No dia 20 de outubro de 2020, o Conselho Deliberativo aprovou sua nomeação para Diretor de Seguridade e Operações da entidade.

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.