Escolha uma Página

Entrevista: As vantagens da contratação do OCIO na gestão dos ativos e passivos

por | out 26, 2020 | Blog

Silvio Santos e Diego Condado

Em entrevista exclusiva para o Blog Abrapp em Foco, Silvio Santos, Diretor de Relacionamento e Diego Condado, Diretor Técnico, ambos da i9 Capital, explicam as vantagens da contratação da figura do OCIO – Outsourced Investment Management – também conhecido como portfólio solutions – para a gestão dos ativos e passivos das entidades fechadas de Previdência Complementar (EFPC) e seguradoras. 

“A visão do OCIO é holística, não se trata apenas da gestão dos ativos, mas também da proposição de uma equação que passa pela avaliação do passivo, a definição de um orçamento de risco e a escolha dos melhores veículos e produtos de investimentos”, dizem os especialistas. Eles falam também sobre o cenário atual e os desafios da gestão dos planos de benefícios. “O atual cenário de taxas de juros sem dúvida é um dos grandes desafios dos dirigentes das EFPC”, comentam. Confira a seguir a entrevista na íntegra: 

Blog Abrapp em Foco – Poderia explicar qual a função do OCIO?

O modelo de gestão OCIO em sua essência tem como principal objetivo a terceirização das decisões de investimentos em relação às reservas ou ao patrimônio da EFPC ou seguradora. Seu papel será feito em conjunto com a diretoria e conselho das entidades contratantes para avaliar seus compromissos de pagamento futuro (passivo), encontrar a melhor equação risco/retorno para os investimentos e operacionalizar e executar os investimentos que se apresentam mais aderentes ao passivo do plano de previdência. A visão do OCIO é holística, não se trata apenas da gestão dos ativos, mas também da proposição de uma equação que passa pela avaliação do passivo, a definição de um orçamento de risco e a escolha dos melhores veículos e produtos de investimentos.  Para tanto, a empresa que se propõe a fornecer tal serviço deverá estar apta para prestar serviços de consultoria financeira e atuarial, gestão de recursos de terceiros (asset management) com suporte tecnológico altamente qualificado (sistemas). 

Blog Abrapp – Poderia comentar o atual cenário de taxas de juros e os desafios para as políticas de investimentos para as EFPC?

O atual cenário de taxas de juros sem dúvida é um dos grandes desafios dos dirigentes das EFPC. Passamos por décadas com juros altos, com ativos apresentando prêmios que superavam as metas atuariais, o que acarretava em uma gestão mais atrelada aos ativos emitidos pelo Tesouro Nacional. Podemos falar que os fundos tinham uma característica mais rentista, pois as taxas dos títulos públicos pagavam a conta atuarial, não havendo a necessidade de se olhar ativos de maior risco, menor liquidez e sofisticação em sua estrutura.

Hoje, esse prêmio não existe mais, o risco e os veículos de gestão mais estruturados necessitam fazer parte dos portfólios de investimentos, pois são nestes produtos que podemos encontrar prêmio para pagar as necessidades atuariais de um determinado plano previdenciário. Por esse motivo, acreditamos que as Políticas de Investimentos devem ser mais flexíveis e estar mais preparadas para estes novos veículos de investimentos e suas classes de risco.  

Blog Abrapp – Quais as vantagens de contratação do OCIO por uma EFPC no cenário atual?

O modelo OCIO traz ganhos para a EFPC não apenas e tão somente na gestão dos ativos, mas em todo o processo de administração dos recursos do investidor institucional. Para tanto, relacionamos abaixo as principais vantagens que vemos no modelo:

Maior governança – O modelo de OCIO geralmente é implantado por meio de fundos de investimento, e portanto os recursos passam a ser supervisionados por administradores fiduciários e pela CVM, entidade que regula o mercado de capitais. Por se tratar de fundos ainda é possível identificar maior transparência, uma vez que os dados são divulgados no endereço eletrônico da Autarquia. 

Ganhos Financeiros – A implantação deste modelo permite que o fundo de pensão ou seguradora tenha ganhos de escala com o processo, pois as taxas de administração serão negociadas com base em um patrimônio maior, e não apenas em relação a determinados mandatos. Há ainda ganhos indiretos, com a redução dos custos de contratação de consultorias e em alguns casos de pessoas e ganhos diretos, como o cash back, que consiste na reversão de parte das taxas de administração dos fundos investidos.

Ganhos operacionais  – O modelo com certeza traz maior agilidade na efetivação das decisões de alocação e redução nas atividades internas. Ao escolher a i9 o cliente ainda contará com reports de acompanhamento dos investimentos e seus resultados em linha com o solicitado e customização de suas informações.

Melhor relação risco retorno – A diversificação que este modelo permite, com ganhos de escala na negociação de reversão de taxas de administração e acesso a todos os gestores e estratégias disponíveis no mercado, tende a fazer com que os resultados sejam melhores e os riscos inferiores as carteiras tradicionais de investimento.

Blog Abrapp – Poderia explicar a evolução desse tipo de prestação de serviços em mercados externos, por exemplo, nos EUA?

O modelo OCIO já está bem difundido nos EUA e na Europa. Em nossas pesquisas e avaliações notamos que o grande fator impulsionador para o crescimento deste modelo de gestão nos EUA e na Europa foi, no âmbito macroeconômico, uma taxa de juros baixa (próxima de zero) atrelada a uma inflação também baixa e com uma evolução nas estruturas e veículos de gestão, fazendo com que a busca pelo melhor retorno com menor risco venha a exigir maior especialização dos profissionais que estão diretamente ligados à gestão das reservas dos fundos de pensão. Atualmente, existem casas ou OCIOs especializados neste serviço e com um volume sob gestão crescente. 

Vale aqui ressaltar que as motivações para o crescimento deste modelo nos mercados considerados desenvolvidos, são as mesmas que estamos experimentando no Brasil, por isso, acreditamos que o modelo será muito importante para os fundos de pensão  brasileiros, principalmente aqueles que possuem como patrocinadores empresas multinacionais, uma vez que essas já conhecem o modelo por meio dos seus pares em outros países ou pelo simples fato das entidades não terem corpo técnico suficiente para tal função. 

Blog Abrapp – Quais outros serviços associados com a contratação da figura do OCIO? Inclui serviços como por exemplo de elaboração de ALM – Asset Liability Management?

Como dito anteriormente, o serviço do OCIO é holístico, portanto, vários serviços estarão atrelados aos deveres do OCIO. Como exemplos e sendo os mais relevantes estão o ALM, avaliação de risco, o enquadramento da carteira, a Due Diligence nas casas investidas, o cadastro dos fundos investidos junto ao administrador fiduciário e a participação das reuniões de comitê e de diretoria da fundação. 

Blog Abrapp – Quais os custos associados à contratação do OCIO? Poderia explicar as possibilidades de utilização do sistema de cash back?

Normalmente, os custos associados à contratação do OCIO estarão definidos no regulamento do fundo de investimento que ele fará a gestão. Será um percentual da taxa de administração do fundo. Os serviços acima citados deverão ser contemplados nesta taxa, não havendo outros custos para a entidade quando da contratação do OCIO para a gestão de 100% de suas reservas.

O sistema de cash back ou reversão da taxa de administração do fundo investido está contido neste modelo. Vale ressaltar que o modelo ideal de cash back é aquele que a reversão da taxa se dá diretamente entre o fundo investidor e o fundo investido (modelo i9 Capital) evitando assim que esses recursos possam passar pela conta do OCIO. Isso traz total transparência aos investidores.

Blog Abrapp – Quais as recomendações na hora de contratar um OCIO?

Sempre da avaliação para a contratação de um OCIO, será importante certificar que esse prestador de serviços é credenciado junto à CVM e participante dos Códigos de Regulação e Melhores Práticas da Anbima para os serviços de gestão. Também é importante que OCIO seja aprovado pelos principais administradores fiduciários do mercado, assim como credenciado pela CVM como consultor de valores mobiliários, dado que, esse prestará os serviços de Due Diligence, ALM e Risco às fundações. No que tange a sistemas, consideramos importante que o OCIO seja proprietário de sistemas altamente capacitados para avaliações de risco, performance e também questões atuariais.

Blog Abrapp – Quais as perspectivas e cenários para o pós-pandemia e os desafios dos gestores de EFPC para os próximos anos? 

O pós pandemia poderá ser um período de grande euforia para os mercados. Todas as economias no mundo sofreram e ainda sofrem com os efeitos da pandemia que gera uma incerteza sobre o crescimento da economia. A consequência é a baixa produção, desemprego e a necessidade de políticas assistencialistas. Já temos saboreado a cada evolução nos testes de vacinas para a prevenção da COVID-19 que qualquer avanço traz melhora nas expectativas de recuperação econômica e isso por si só já traz melhoras para os mercados como um todo.

Acredito que o principal desafio dos gestores de fundo de pensão está em olhar sua carteira de investimentos de forma a ter a maior diversificação possível, não apenas nas casas investidas, mas também em seus veículos de investimentos, não excluindo estruturas de investimentos no exterior e estruturas mais sofisticadas.

(As opiniões e conceitos emitidos na entrevista acima não refletem, necessariamente, o posicionamento da Abrapp a respeito do tema)

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.

Shares
Share This