Escolha uma Página
Palestra Especial: Mudanças exponenciais serão necessárias para quem quiser manter seu negócio vivo

Palestra Especial: Mudanças exponenciais serão necessárias para quem quiser manter seu negócio vivo

A agilidade com que as mudanças do mundo ocorrem exige das pessoas um novo formato de pensar, não mais linear, mas sim de maneira exponencial. Esse foi o tom da Palestra Especial “Admirável Mundo Novo”, do 41º Congresso Brasileiro de Previdência Privada (41º CBPP), com Peter Diamandis, Cofundador e Presidente Executivo da Singularity University. O encerramento do evento na última quinta-feira, 19 de novembro, contou com cerca de 5 mil participantes online.

Diamandis destacou a agilidade com que o mundo está mudando, ressaltando seu amor e respeito com o Brasil, onde a sua empresa atua com diversas iniciativas. A Singularity University é uma empresa americana que oferece programas educacionais executivos, atuando também como incubadora de empresas e prestando serviço de consultoria em inovação.

Segundo Diamandis, é difícil para os seres humanos pensarem no tempo e no mundo de maneira que não seja linear. “Uma coisa que afeta o outro lado do mundo nos afeta, as coisas não mudam de uma década para outra, e sim de um mês para outro, e isso está sendo liderado por tecnologias exponenciais como sensores, redes, inteligência artificial, robótica, etc.”. Diamandis afirmou que a combinação de três ou quatro dessas tecnologias vai reinventar os modelos de negócios, reinventando nossas vidas. “As tecnologias exponenciais estão mudando o mundo, com impacto enorme”.

Adaptação – “As empresas que forem lentas para se adaptar a esses novos cenário serão extintas”, alertou Diamandis, reforçando que as tecnologias exponenciais têm o mesmo impacto de asteroides no sentido de mudarem o mundo em uma rapidez tamanha. Ele citou ainda a pandemia de COVID-19, que já está mudando o mundo no varejo, saúde, educação, e em tantas outras indústrias. “Isso está mais uma vez exigindo uma mudança muito rápida de empresas e indústrias, e se elas não conseguirem se adaptar, vão sofrer, e as que forem ágeis, vão prosperar”, disse.

Segundo Diamandis, a pandemia está ensinando sobre o poder do pensamento exponencial. “Todos nós pensamos de maneira linear. Nosso cérebro foi projetado, conectado, para ver de maneira linear, mas o mundo está mudando exponencialmente”. Ele deu alguns exemplos de empresas que persistiram em negócios lineares versus as que tiveram crescimentos exponenciais, demonstrando que empresas que não se adaptaram foram à falência, enquanto outras que surgiram com inovação tiveram sucesso e aumentaram seu valor em escalas milionárias.

Ele citou ainda que em conversas com grupos de investimento e conselheiros de grandes empresas, ele destaca sempre que toda empresa deve digitalizar produtos e serviços até criar uma disrupção. Além disso, as empresas devem desmaterializar, desmonetizar e democratizar.

Segundo Diamandis, a desmaterialização consiste em digitalizar para dematerializar, fazendo as coisas passarem de átomos para bits, e o custo de transmitir e replicar é zero, conseguido desmonetizar. “O valor, em última análise, vai ser a democratização. O seu marketplace já não é mais São Paulo, Brasil ou América Latina, o seu mercado vai ser o mundo, e sua capacidade será de oferecer produtos e serviços para o mundo inteiro”.

Ele deu ainda outros exemplos do impacto da tecnologia no mundo e afirmou mais uma vez: “a menos que todas as empresas embarquem nessas tecnologias, não vão sobreviver às próximas décadas”.

Escassez x abundância – A tecnologia também converte escassez em abundância, segundo Peter Diamandis, que destacou que se um modelo de negócios é baseado em uma mentalidade de escassez, com recursos limitados, investindo um por vez, essa empresa não vai sobreviver. Ele citou recursos como energia, água, entre outros, podem ser cada vez mais abundantes devido à tecnologia.

Diamandis falou ainda sobre a tendência de conexão com pessoas no planeta por meio do 5G, e que o mundo está sendo cada vez mais conectado. “Além de conectar pessoas, também estamos prestes a conectar tudo. Teremos 77 bilhões de dispositivos conectados até 2022”, disse. 

Ele citou outras megatendências no setor de saúde, impulsionadas pelo sequenciamento de genoma; o aumento de longevidade; e a inteligência artificial. “Haverá dois tipos de empresa futuramente. Uma empresa que está usando totalmente inteligência artificial, e uma empresa que está prestes a fechar as portas”, afirmou.

Automatização e fator humano – “A nossa missão é automatizar rotinas e humanizar a exceção. O que é rotineiro e repetitivo, tem que ser feito pela tecnologia, pela inteligência artificial. Nosso trabalho, como ser humano, é tornar a experiência do nosso cliente e funcionário, tornar aquilo humanizado, excepcional”, disse Diamandis.

Segundo ele, isso ocorre a partir de ideias inovadoras. “Onde na empresa em que você investe e trabalha há pessoas tentando ideias loucas? Se você não está tentando ideias loucas, ainda está incrementando melhorias lineares”, disse. Ao final, Peter Diamandis afirmou: “nós estamos passando pelo momento mais extraordinário da vida humana”.

Crescimento, recuperação e ações para o 41º CBPP foram foco de coletiva de imprensa da Abrapp

Crescimento, recuperação e ações para o 41º CBPP foram foco de coletiva de imprensa da Abrapp

O crescimento dos planos instituídos, a recuperação sistema de Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) após o primeiro impacto da pandemia, e as ações para o 41º Congresso Brasilero da Previdência Privada (CBPP) foram temas abordados em coletiva de imprensa concedida pela Abrapp nesta quinta-feira, 12 de novembro, reunindo cerca de 14 jornalistas de diversos veículos de comunicação. Estiveram presentes o Diretor Presidente da Abrapp, Luís Ricardo Martins; o Diretor Vice-Presidente da Abrapp e Diretor Presidente da UniAbrapp, Luiz Paulo Brasizza; o Superintendente Geral, Devanir Silva; e o Superintendente Adjunto, Ivan Corrêa Filho.

Na ocasião, foram apresentados números sobre crescimento dos fundos instituídos, que hoje contam com 572,8 mil participantes e R$ 12,9 bilhões em patrimônio, segundo levantamento da Abrapp. “Isso mostra uma evolução, que deve ser ainda maior com planos família. Temos uma prospecção para esses planos voltados aos familiares de que até 2022 tenhamos mais de 500 mil pessoas protegidas e mais de R$ 2 bilhões de reservas acumuladas. Isso mostra o quão acertada foi a nossa ideia de fazer crescer e ampliar esses planos família”, disse Luís Ricardo. Diante disso, esse novo produto levará ao sistema uma mudança de mindset, conforme explicou o Presidente. “As entidades devem pensar fora da caixa para não ficar restritas aos seus atuais participantes, pois isso pode colocar sua sustentabilidade em risco. É uma nova visão de negócio”, disse. “Agora o sistema parte para a venda”.

Os dados mostram ainda a recuperação de todo o sistema após o primeiro impacto da crise decorrente da pandemia de COVID-19. Em março, as entidades acumulavam deficit de R$ 74 bilhões. Em setembro, o resultado negativo foi reduzido para 38,5 bilhões, segundo balanço da Abrapp. No mesmo período, o superávit das entidades evoluiu de 15,5 bilhões para 18,2 bilhões. “Com a força, resiliência e recuperação do sistema, nós superaremos a casa de R$ 1 trilhão em patrimônio ainda este ano”, disse. Em setembro, os ativos das EFPC somaram R$ 974 bilhões, o que representa 13,6% do PIB.

Oportunidades – “O sistema vem há muito falando de disrupção, comunicação, que amenizam os efeitos da pandemia. Diante dos dados de recuperação do sistema, isso mostra resiliência e o quanto o longo prazo é fundamental”, disse Luís Ricardo. Segundo ele, há ainda mais força para que o segmento trabalhe com grandes janelas de oportunidades, como a da Reforma da Previdência. “Poderia ter sido mais avançada se fosse estrutural, mas ela foi paramétrica, profunda e necessária. A pandemia também é uma janela de oportunidades, as pessoas querem proteção para seus familiares, e a gente tem isso no nosso DNA. O sistema fechado nasce do coletivo e temos uma grande solução, podendo ser parceiros do governo brasileiro, e protegendo o maior número de pessoas”.

Outra grande janela de oportunidades citada pelo Presidente é a dos planos de entes federados. “A Emenda Constitucional nº 103 trouxe a obrigatoriedade dos entes federativos implementarem o regime de previdência complementar em 2 anos. Isso já deu certo, o segmento de previdência complementar fechada sabe fazer”, disse, citando as entidades de servidores públicos que já estão consolidadas, sendo que, até setembro, 10 EFPC associadas à Abrapp já fazem a gestão de 20 planos de previdência dessa categoria. “Isso trará um fomento muito grande e apostamos muito nesse segmento nos próximos anos”. Luís Ricardo destacou que haverá uma Lei Complementar para harmonização entre entidades abertas e fechadas para que o segmento aberto de previdência possa fazer também a administração desses planos, conforme prevê a Emenda Constitucional. “Esse arcabouço regulatório e legal trará uma blindagem completa ao sistema”.

Outro tópico abordado por Luís Ricardo ainda com o viés de fomento do sistema foi a proposta de Lei de Proteção ao Poupador Previdenciário (LPPP), elaborada pelo pesquisador e professor do IDP José Roberto Afonso em parceria com a Abrapp. “Hoje existe uma mensagem do governo brasileiro de que o Estado deixará de ser o grande provedor da previdência pública, e o regime de repartição simples não se sustenta. O indivíduo cada vez mais terá que se preocupar em formar sua poupança previdenciária. Queremos trazer essa garantia, ampliar a previdência complementar para toda sociedade brasileira e trazer uma rede de proteção”, disse Luís Ricardo. O projeto de lei foi apresentado em reunião das diretorias e equipes executivas da Abrapp e da Fenaprevi nesta quarta-feira, 11 de novembro (saiba mais).

Para mostrar ainda mais a força do sistema, o Superintendente Geral Devanir Silva destacou que as EFPC possuem os melhores produtos, com pagamento de benefícios, com uma folha de pagamentos de benefícios de R$ 30 bilhões no primeiro semestre deste ano, podendo chegar a R$ 60 bilhões ao final do ano. “Isso é significativo. O sistema é dos trabalhadores, dos participantes”, disse. “Temos produto, temos entrega e qualidade, temos todos os ingredientes para o crescimento”, ressaltou.

Diversificação dos investimentos – Luís Ricardo destacou que a recuperação das EFPC em meio à crise se deu principalmente pelo fato que de que em suas políticas de investimentos as entidades já contemplavam maior risco e diversificação. “A diversificação está no seio do debate do Conselho Monetário Nacional sobre a Resolução nº 4.661. Temos falado em aumento de limites dos investimentos no exterior, sobre a questão imobiliária, temos uma proposta da Previc para investimentos em empresas de capital fechado. A diversificação é o segredo de sucesso, e a profissionalização e os debates que estamos fazendo neste momento pedem investimento com responsabilidade social”.

Devanir ressaltou que para uma visão de longo prazo é preciso investir na economia real, e o sistema está preparado para isso. “Vejo um caminho muito promissor. Hoje temos uma poupança forçada pela adversidade, mas somos fomentadores e nosso trabalho será a realização de sonho das pessoas. Temos oportunidade de fomentar uma massa de jovens trabalhadores. Estamos preparados para isso”.

Luiz Paulo Brasizza destacou ainda a questão da sustentabilidade como um grande ponto de diversificação dos investimentos, sendo um tema relevante no mercado financeiro. “A  Abrapp tem participado de grupo multidisciplinares sobre o assunto. Os investimentos nessa área deverão ser feitos pelos investidores institucionais”, disse, citando que a Abrapp possui um comitê de sustentabilidade e já lançou um guia de melhores práticas em sustentabilidade para todas as entidades; um guia de elaboração do relatório anual de sustentabilidade; uma política de sustentabilidade; um guia prático de integração ASG de gestores, entre outros. “Criaremos ainda o relatório de sustentabilidade das EFPC. Essa nova geração vem buscando um ‘selo verde’ nos investimento como uma aprovação para aplicarem seus recursos. Estamos correndo nessa linha para abrir boas perspectivas para investimentos sustentáveis”.

Destacando que a questão de sustentabilidade deixou de ser um “modismo”, Luís Ricardo reforçou que o participante deve enxergar que seus investimentos estão sendo direcionados para um objetivo maior. “Estamos apostando nisso, esse é um tema que veio para ficar e deixou de ser moda, com exigência muito forte do nosso atual e futuro público”.

Rentabilidade – O levantamento da Abrapp mostrou também que a rentabilidade dos fundos de previdência alcançou 867% nos últimos 17 anos, acima da meta atuarial de 648% para o período. Luís Ricardo destacou que a conjuntura econômica atual já demonstra recuperação do sistema. “As oscilações não são novidade. Nossa relação com o participante é de 50 anos. Esse lado do longo prazo, onde se pode traçar estratégias e ter profissionais do mais alto nível de excelência, permitirá alcançar e bater as metas atuariais”, disse.

41º CBPP – Luís Ricardo ressaltou a programação do 41º Congresso Brasileiro da Previdência Privada, que ocorre de 16 a 19 de novembro. “Esse Congresso vai tratar de temas fundamentais para nós, mas mais do que isso, o que pensam as grandes referências na inovação”, disse. Além da programação das plenárias, o evento contará com palestras técnicas, programação no Espaço UniAbrapp e na Alameda Conecta, além de apresentações na Área de Exposições e no Espaço Institucional. Confira aqui a programação completa.

Buscando atrair ainda mais o público jovem para o tema da previdência privada, Luís Ricardo citou uma das ações que ocorrerão no 41º Congresso, o Previdência é Coisa de Jovem. A iniciativa da UniAbrapp contará com uma live realizada durante o Congresso no dia 17, às 15h30, em parceria com o CIEE, reunindo cerca de mil jovens. “Estamos trazendo a previdência para um novo mindset, para pessoas pensarem que quanto antes elas começarem a poupar, melhor”.

Além dessa iniciativa, a UniAbrapp, que tem um foco na educação financeira e previdenciária, fará o lançamento da primeira turma do MBA em Gestão de Previdência Complementar em formato 100% online durante o 41º CBPP. “Precisamos levar meios para educar esses jovens. Todo esse trabalho de estrutura da UniAbrapp ajuda nesse processos de entendimento e transferência de informações para essa juventude”, disse Brasizza. “O jovem deve entender que precisa começar cedo a sua previdência”.

Dentro desse movimento de inclusão de um público mais jovem, a Abrapp tem investido em tecnologia com projetos como o Hack’A’Prev e o Hupp. Devanir citou o mundo das startups, da tecnologia e da Conecta, empresa controlada pela Abrapp e UniAbrapp para oferecer soluções tecnológicas ao sistema de previdência complementar. “Temos 17 startups trabalhando no nosso hub de soluções previdenciárias e que deverão gerar soluções para o sistema nos próximos meses”. A Conecta também apresentará seus parceiros e os serviços desenvolvidos por eles em uma programação exclusiva em seu estande no 41º CBPP. Saiba mais.

Conecta fecha duas novas parcerias e prepara divulgação de serviços durante o 41º CBPP

Conecta fecha duas novas parcerias e prepara divulgação de serviços durante o 41º CBPP

A Conecta fechou duas novas parcerias para oferecer às Associadas da Abrapp soluções tecnológicas de maneira compartilhada. São eles a Contraktor, que conta com uma plataforma de assinatura eletrônica e digital e de gestão de contratos e de documentos; e a PFM Consultoria e Sistemas, que desenvolveu um novo software de gestão de riscos especialmente para essa parceria.

O projeto Unio Core da PFM foi desenvolvido para apresentar uma solução para avaliação de riscos e controles à semelhança do Sistema Unio, já oferecido pela empresa. O objetivo do software é auxiliar principalmente as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) de menor porte no processo de avaliação de riscos e controles de forma mais fluida, considerando os principais processos, riscos e controles.

A PFM já atua no sistema de previdência desde 2004, contando com uma carteira de clientes com mais de 60 entidades. “Nosso foco é oferecer sistema e serviços para gerenciamento de riscos corporativos, e já tínhamos uma presença importante no segmento. A sinergia com a Conecta surgiu após detectarmos um gap no atendimento de algumas entidades em relação ao apoio ao gerenciamento de risco”, disse Francisco Carlos Fernandes, Sócio-Fundador da PFM Consultoria e Sistemas, em entrevista ao Blog Abrapp em Foco.

A nova solução da PFM visa atender tipicamente entidades com equipes menores e menor disponibilidade de recursos em geral. “O Unio Core possui suporte metodológico importante para apoiar na gestão de riscos, sendo mais simples em termos de funcionalidades e recursos para poder resolver o problema de acessibilidade. É uma solução voltada para entidades menos complexas”, enfatizou.

Por meio dessa parceria, a PFM terá um portfólio de produtos e serviços mais adequado para os diversos tipos de entidades do segmento. “Apesar das EFPC terem, muitas vezes, processos semelhantes entre elas, ainda são muito diferentes entre si. O Unio Core nos ajudará a ter um portfólio adequado para cada tipo de EFPC, e esperamos, com essa parceria, aumentar a quantidade de entidades que atendemos”, complementou.

Digitalização de documentos – Já a Contraktor possui um foco direcionado a digitalização de documentos, oferecendo assinatura eletrônica, gestão de documentos, visando a desburocratização dentro das empresas. “Temos uma carteira bem diversificada, com mais de 300 clientes, especialmente com foco voltado para educação, saúde e a parte financeira, e assim começamos a ter contato com algumas empresas de previdência. Vimos que é uma vertical que agora começou a migrar para o digital”, disse Bruno Doneda, Diretor de Expansão e Co-fundador da Contraktor.

Bruno explicou que a ideia da parceria com a Conecta é levar às EFPC soluções que ajudem a eliminar papel, gerando melhor experiência tanto para os colabores internos quanto para o próprio cliente. “Um boa experiência para as duas partes é nosso grande objetivo. Queremos levar menos burocracia, economia de tempo e oferecer algo que leve segurança e confiança, com respaldo jurídico e validade dos contratos”, destacou.

A Contraktor oferece ainda o serviço de migração de documentos para o digital. “A gente consegue oferecer em nossa plataforma ferramentas para tornar toda a EFPC digital, desde a parte inicial de documentos, formulários, coleta de dados, até a assinatura digital. Temos todos os tipos de assinatura, desde a assinatura digital simples, até a qualificada. Por fim, temos a armazenagem dos documentos. Não adianta só arquivá-los em uma nuvem, precisamos ter controle e classificação para poder filtrar, fazer relatório e gestão. Vamos viabilizar para que essas entidades migrem jornadas e processos internos que envolvem muitos documentos de forma 100% digital e com segurança. Nossa proposta é que seja fácil fazer a adaptação”, complementou.

41º CBPP – Tanto a PFM quanto a Contraktor, assim como os demais parceiros da Conecta, terão estande virtual no 41º Congresso Brasileiro de Previdência Privada. O maior congresso mundial do segmento acontecerá de 16 a 19 de novembro em formato 100% online e ao vivo. Ainda não se inscreveu para o Congresso? Garanta sua vaga com preço de 3º lote e descontos especiais para grupos!

“A expectativa com o Congresso é boa, achamos interessante se aproximar da Abrapp para conseguir se comunicar de forma mais assertiva com esse público”, disse Bruno Doneda. “O Congresso migrou para o digital, e no fim será positivo, pois estamos falando em transformação digital e o evento ocorrerá de forma remota. Espero que as entidades explorem as soluções que oferecemos para reduzir custos e burocracia e melhorar a experiência do cliente”.

O lançamento oficial do Unio Core também ocorrerá durante o Congresso. “Teremos um estande na Alameda Conecta e isso permitirá interação entre os participantes e os congressistas. Vamos disponibilizar uma apresentação institucional, pretendemos ter consultores disponíveis para conversas via chat, além de realizar mini apresentações do Unio Core, que terá material disponível a todos. Convidamos os congressistas para participarem”, explicou Francisco, da PFM. “Atuar conjuntamente dentro da Abrapp reverterá benefícios para cada membro da Associação. Além disso, sem dúvida temos condições de obter ganhos de escala que vão se transformar em retornos para os clientes”, complementou.

Para a Conecta, a oferta das novas soluções é mais um serviço prestado às entidades. “Como uma empresa criada pelo sistema e para o sistema, quem determina a concretização de uma nova parceria é o ambiente associativo. As parcerias nascem com o forte propósito de gerarem vantagens a todos os envolvidos, criando e fortalecendo um círculo virtuoso e relações sustentáveis. Mas a prioridade é sempre a demanda das nossas entidades”, destacou a Superintendente Executiva da Conecta, Claudia Janesko.

Segundo Claudia, as entidades demandavam soluções de assinatura eletrônica, ao mesmo tempo que apresentavam projetos dentro do conceito de “paperless”, e a Contraktor veio como uma alternativa completa e ampla, com aplicações além das assinaturas. “Já o Unio Core é uma solução tecnológica com toda a expertise voltada para o nosso sistema, que permite a utilização por diferentes entidades, com operações distintas, possibilitando que as equipes realizem seus processos de avaliação sem a dependência da figura constante do consultor. Isso confere maior autonomia às EFPCs, além de custos bastante interessantes, o que também está alinhado com as demandas apresentadas à Conecta”, complementou.

Acompanhe no Blog Abrapp em Foco as demais ações da Conecta durante o 41º CBPP. Confira também a programação do Congresso e garanta sua vaga no maior evento de previdência privada do mundo!

Vídeo: Sistema busca aprimoramento em tecnologia com hackathon e hub

Vídeo: Sistema busca aprimoramento em tecnologia com hackathon e hub

A busca da Abrapp por atender as demandas das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) em relação a tecnologia foi tema de vídeo da série Abrapp Direto ao Ponto. “Temos a exata noção das deficiências tecnológicas que o sistema está atravessando e das soluções que ele vem buscando. Estamos com a Conecta na busca do atendimento desse pleitos, na busca por soluções compartilhadas no nosso ambiente de tecnologia”, disse o Diretor Presidente da Abrapp, Luís Ricardo Martins, citando o Hack’A’Prev, hackathon da previdência privada realizado pela Conecta. “O hackathon os deus mais força para gente continuar e evoluir num hub de previdência privada, aproximando as startups das nossas Associadas”, disse, se referindo ao Hupp. Assista ao vídeo na íntegra:

Hupp terá programação exclusiva no Estande Conecta durante 41º CBPP

Hupp terá programação exclusiva no Estande Conecta durante 41º CBPP

Este ano, o 41º Congresso Brasileiro de Previdência Privada, realizado em formato 100% online e ao vivo, terá uma agenda dedicada ao Hupp!, hub da previdência privada organizado pela Abrapp e Conecta em parceria com a LM Ventures. As 17 startups integrantes do projeto estarão em programação especial dentro do Estande Conecta.

Durante os quatro dias de evento, as startups participarão de painéis sobre tecnologia dentro do estande, e os congressistas poderão interagir com as empresas para uma troca de informações. “A Conecta levará para dentro de seu estande o Hupp! e as startups com talk shows separados por blocos de assuntos. A ideia é as startups fazerem pitches de apresentações e depois abrir um espaço para o público fazer perguntas. Essa é uma das formas que estamos enxergando de trazer todas as entidades, e não somente as parceiras do Hupp, para interagir com as startups e se ambientar com esse universo de soluções que elas estão apresentando ao nosso sistema”, explicou Claudia Janesko, Superintendente Executiva da Conecta.

Confira a seguir a programação do Hupp no estande da Conecta durante o 41º CBPP:

  • 16/11 – 09h30 às 10h30Painel: Hupp! – Tecnologias para Compliance de Investimentos, Balanceamento de Carteira e Contas Digitais – Palestrantes: ALLÊ INVEST, INVESTTOOLS e TRAMPOLIN
  • 17/11 – 09h30 às 10h30- Painel: Hupp! – Tecnologias aplicadas para Marketing e Vendas em tempo de fomento – Palestrantes: OQ DIGITAL, GETMORE e SENTIMONITOR
  • 17/11 – 18h45 às 19h45- Painel: Hupp! – Tecnologias para BigData & Analytics para tomadas de decisão mais estratégicas – Palestrantes: DOM ROCK e ONCASE
  • 18/11 – 09h30 às 10h30- Painel: Hupp! – Tecnologias para maior alcance e impacto em Educação Financeira – Palestrantes: FUTURITOS e ONZE
  • 18/11 – 18h30 às 19h30 –Painel: Hupp! – Tecnologias para Segurança & CyberSecurity em tempos de adesão digital e LGPD – Palestrantes: SAFFE, IDWALL e INOVAMIND
  • 19/11 – 09h30 às 10h40 – Painel: Hupp! – Tecnologias para BackOffice para melhoria de eficiência operacional – Palestrantes: NOGORD.IO, UBOTS, ASAAS e PROJURIS

Acompanhe no Blog Abrapp em Foco as demais ações da Conecta durante o 41º CBPP. Confira também a programação do Congresso e garanta sua vaga no maior evento de previdência privada do mundo!

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.