Escolha uma Página

Startups apresentam soluções em Day One do Hupp

por | set 11, 2020 | Blog

Na segunda etapa do Day One do Hupp, hub da previdência privada organizado pela Abrapp e Conecta em parceria com a LM Ventures, as 17 startups selecionadas fizeram seus pitches. A reunião on-line uniu as entidades parceiras e as startups para apresentação sobre as demandas e soluções para o sistemas e teve a presença de mais de 60 participantes entre representantes das Entidades Parceiras, das startups, e da Conecta, Abrapp e LM Ventures. Na primeira parte da reunião, as 11 Entidades Parceiras apresentaram suas estruturas e expectativas com o projeto. Leia mais.

Durante os pitches, as startups apresentaram seu histórico, os produtos e serviços oferecidos e como as soluções podem atender às demandas mapeadas pelas EFPCs com sendo as maiores dores do sistema hoje. Entre as soluções apresentadas estão meios de pagamento e soluções financeiras, jornada do cliente, retenção e engajamento, educação financeira, atendimento e segmento jurídico.

Luis Macedo, CEO da Allê Invest, iniciou as apresentações e destacou que no Hupp, as soluções exploradas pela empresa estão relacionadas a Robô Advisor e gestão de carteiras, consolidador de investimento, user experience, simuladores de previdência e inteligência artificial. Ele explicou que o Robô Advisor é um sistema de gerenciamento de riqueza on-line autoguiado que fornece consultoria de investimentos automatizada 24 horas por dia, 7 dias por semana. “A gente fornece também APIs e plataforma de gestão de investimento. A ideia do Robô Advisor é acompanhar a vida do usuário através do life planning”. Ele explicou com detalhes o funcionamento da solução.

A Asaas é uma empresa qualificada como uma instituição de pagamentos. Para apresentar suas soluções, Marcelo Vital, Head de Vendas e Desenvolvimento de Negócios, falou que a empresa abrange todos os métodos de pagamento, além de produtos complementares e do sistema de mensageria e cobrança de pagamentos em atraso. “Temos todas as soluções de pagamento e cobrança em um único lugar, e podemos oferecer de acordo com a necessidade do cliente. A gente faz ainda o processo de prospecção, vendas, receitas, contas a pagar, até a parte de compliance e nota fiscal”. Além disso, a Asaas também faz emissão de cartões com card design personalizado, e se prepara para trabalhar com o PIX.

Andre Almeida, Presidente e fundador Dom Rock, contou que o principal objetivo da empresa é ser uma plataforma de inteligência operacional. “Temos o atributo da automação e da otimização na análise de dados, transformando essas informações em algoritmos de inteligência e, posteriormente, distribuindo a parte analítica para quem vai consumir”. Ele demonstrou alguns cases de como a plataforma atua em determinados segmentos.

Para falar sobre a Futuritos, o CEO Joubert Mesquita fez uma apresentação sobre o histórico da empresa, que já tem atuação em poupança e no mercado segurador. “Idealizei o Futuritos no sentido das famílias terem o olhar para o futuro com suas crianças, introduzindo conceitos de educação e liberdade financeira”, contou. Ao analisara realidade do mercado, Mesquita se deparou com produtos que têm baixa atratividade e retenção. “Pensando nisso, criamos uma plataforma através da qual, com um processo simplificado, conseguimos envolver toda a família na educação financeira e previdenciária, com foco nas crianças”, disse. A proposta de valor da Futuritos está em criar uma experiência melhor na contratação e acompanhamento desse tipo de produto, gerando maior atratividade e retenção. “Podemos ajudar na expansão de planos familiares e fidelizar essas carteiras”.

Daniel Radicchi, CTO e sócio da Getmore, apresentou as soluções da empresa voltada para o mercado B2B. “Somos uma empresa de software e temos quatro unidades de negócios: produto de cash-in para contas e cartões; projetos especiais de incentivos; cashback no comércio local; e coalizão Plug & Play”.

Trabalhando na facilitação de captação de clientes e validação do cadastro, a Idwall teve sua solução de onboardingapresentada por Igor Moraes Gonçalves, desenvolvedor de negócios da empresa. “Vemos que hoje 40% das pessoas desistem antes de terminar um processo de cadastro em uma plataforma digital. Por outro lado, o onboarding é uma vantagem competitiva”. Ele destacou o processo simples de cadastramento do usuário na plataforma, validando a legitimidade do cliente e, assim, garantindo um processo rápido e com menos fraude no cadastramento, além de fazer prova de vida e background check por meio de uma integração com outras bases para validar o usuário. As tecnologias são usadas via API, SDK ou Dashboard.

Jung Park, fundador e CEO da InovaMind, apresentou uma plataforma na mesma linha, com especialização em inteligência artificial, big data, analytics, computer vision e soluções de machine learning, oferecendo também um processo de onboarding abrangendo todos os serviços de cadastro do cliente. “A gente faz verificação da imagem e dados contidos no documento do cliente na hora do cadastro”.

A Investtools, focada em soluções para o mercado financeiro, destaca que oferece soluções para gestão de investimentos. O CEO David Gibbin explicou que a empresa já atua com grandes gestoras no Brasil, e no Hupp há um alto grau de aderência para o produto, possibilitando que ele seja adaptado para entender o sistema. “O momento do mercado é importante, com mudanças estruturais para o mercado, e estamos em momento de difusão e alinhamento”.

A Nogord.io é uma ferramenta com automação de regras de decisão sem código e sem operação. Vitor Discacciati, COO da empresa, deu exemplo de como é feita a automação de regras de decisão dentro da plataforma, desde a concepção da ideia até o código que será implantado no core da companhia. “A gente propõe uma interface intuitiva onde o próprio usuário consegue desenhar um fluxograma e a plataforma traduz regras de negócios e código, gerando um serviço a ser consumido por outros sistemas”.

Iandé Bailey Coutinho, CEO da Oncase, apresentou a empresa de big data e analytics que tem como foco extrair o valor dos dados, reduzindo tempo de análise, atendimento e aumentando engajamento. “Ajudamos as organizações a construírem uma estratégia de dados e também produtos mais verticais. O objetivo é atender toda a jornada do cliente e captação até recomendar ofertas e entender a demanda do mercado para saber quais produtos se deve ofertar e para quais clientes”.

Em relação à Onze, Henrique Carvalho, Diretor Comercial da empresa, destacou a atuação direta na previdência aberta e agora voltada a desenhar soluções para a previdência fechada. “Criando a Onze a gente percebeu necessidades da previdência e estruturamos nossa oferta em três pilares. Uma delas é a tecnologia dividida em aplicativo para o colaborador para que ele tenha autonomia e engajamento, e em plataforma de RH, que traz indicadores de adesão, contribuição e investimento”. A Onze oferece ainda uma plataforma de marketing e distribuição, que pode ajudar na expansão de produtos. “A terceira frente é o módulo de saúde financeira”, complementou.

Cadu Senna, fundador e CEO da OQ Digital, destacou que a plataforma tem como objetivo explorar o conceito de indicação como a melhor forma de captar clientes. “Quando estimulados, seus participantes são os melhores canais de comunicação”. Assim, a plataforma visa estimular participantes a serem influenciadores nos produtos através de relacionamento, recomendação e reconhecimento, conteúdo de educação financeira, e conteúdos relevantes e recorrentes para a formação de uma comunidade on-line.

Adiel Rodrigues, representante da Projuris, apresentou como a plataforma voltada para o setor jurídico consegue reduzir custos e riscos e promover melhorias de gestão. “Fazemos gestão de documentos, visando o papel zero. Também conseguimos, através da automação, monitorar tribunais, agências reguladoras, entre outros. Além disso, vemos em andamento intimações e autuações digitais. Outra dor comum da previdência é o provisionamento e contingência, e oferecemos esse serviço”. Ele contou ainda que a Projuris trabalha com controles de garantia e conciliação e integrações com sistema internos. “A gente interage com especialistas de diversas maneiras, de forma embarcada”, complementou. “Nossa mensagem é eliminar ineficiência do mundo jurídico”.

Isabella Jardanovski Strozberg, Operations Manager na Saffe, explicou que a empresa que é provedora de reconhecimento facial voltado para soluções financeiras. “Nosso principal caso de uso está no reconhecimento facial para realização de pagamentos seguros”, explicou.

O CEO da Sentimonitor, Hugo Pinto, apresentou a empresa de pesquisa e mapeamento de personalidade baseado em inteligência artificial. “Através de indicadores, gráficos e visualizações, é possível ter uma tomada de decisão”, disse. “Para cada indústria criamos uma camada de inteligência entregando os insights”. No contexto do Hupp, Hugo explica que o mapeamento de personalidade pode ajudar as entidades a identificarem as melhores maneiras de se comunicar com os clientes, o que ajuda também no jeito de vender.

Para apresentar a Trampolin, esteve presente na reunião Lucca Freire, responsável pela operação comercial da empresa, que trabalha com banking as a service. “Funcionamos de duas maneiras: entregamos as APIs de core banking, então cada produto é uma API diferente, ou entregamos com full service, construindo uma aplicação mobile customizada financeira para que nosso parceiro possa oferecer para seu usuário final. Somos uma fintech e ajudamos parceiros a lançarem produtos financeiros diferentes e rápidos para o mercado”. A empresa também oferecerá PIX e customiza produtos de cashback.

Rafael de Paula Souza, Co-Founder e CEO da Ubots, destacou que o objetivo da plataforma é fazer com que grandes empresas atendam e conversem com seus clientes de forma satisfatória e eficiente. “A gente oferece um chatbot, que pode ser criado, configurado e treinado pelas empresas, além de ter um módulo no qual o atendente humano pode conversar com o cliente, um módulo analítico sobre a performance do chatbot e dos atendentes, e um módulo de insights dos atendimentos”. Além disso, é oferecida uma consultoria por meio de um time de especialista que ajuda a criar o chatbot, canais e jornadas de conversas para os clientes.

A próxima etapa do projeto será fazer o match entre startups e fundações para iniciar o trabalho de evolução das soluções e, posteriormente, trabalhar as Provas de Conceito (POCs). Siga acompanhando o projeto do Hupp no Blog Abrapp em Foco!

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.

Shares
Share This