Escolha uma Página
Guia de Boas Práticas – Ações de Educação Financeira e Previdenciária está disponível

Guia de Boas Práticas – Ações de Educação Financeira e Previdenciária está disponível

O Guia de Boas Práticas – Ações de Educação Financeira e Previdenciária já está disponível para download. O e-book foi elaborado pela Comissão Técnica Sul de Estratégias e Criação de Valor com base em cases de entidades integrantes da comissão. O Guia foi uma das publicações previamente apresentadas durante o 2º Encontro Nacional de Estratégias e Criação de Valor realizado em outubro deste ano.

O Guia de Boa Práticas traz um compilado de ações e projetos de educação financeira e previdenciária que são executados pelas entidades integrantes desta comissão com o objetivo de orientar e divulgar ações de sucesso que servem como modelos na construção de um programa de educação financeira e previdenciária.

Com mais de 60 páginas, o Guia auxilia as EFPC no compromisso de ir muito além do pagamento regular dos benefícios, tendo a educação previdenciária como um de seus principais pilares, sendo também um desafio às entidades, que têm a necessidade de cada vez mais prover os participantes da capacidade de tomada de decisões, do cuidado com a gestão do seu patrimônio e com a percepção de que o sonho da aposentadoria só se concretiza com planejamento e disciplina.

Acesse aqui o Guia de Boas Práticas – Ações de Educação Financeira e Previdenciária na íntegra.

TalkPrev discute benefícios, oportunidades e desafios na implantação da Resolução nº 32

TalkPrev discute benefícios, oportunidades e desafios na implantação da Resolução nº 32

Foi realizado nesta quinta-feira, 29 de outubro, o TalkPrev, evento organizado pela Comissão Técnica Leste de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp. Marcia Maria Dias Constanti, Coordenadora da Comissão, destacou que o TalkPrev foi idealizado no ano passado, tendo sido relido em formato presencial, e agora no formato virtual. O webinar reuniu mais de 300 participantes on-line para discutir a Resolução CNPC nº 32. Aprovada em dezembro do ano passado, a Resolução é vista por representantes e especialistas do setor como um avanço para a modernização na prática da comunicação entre as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) e seus participantes ativos e assistidos. A norma já está em vigência desde sua publicação no Diário Oficial da União em janeiro deste ano, porém, as entidades contam com o prazo até o próximo dia 31 de dezembro para se adaptarem às exigências.

Luís Ricardo Martins, Diretor Presidente da Abrapp, parabenizou a comissão por levar um tema atual e instigante para discussão. Ele ressaltou a experiência da Abrapp e a evolução dos tempos, destacando que o debate da Resolução nº 32 vem aperfeiçoar o sistema. “É preciso investir em comunicação e em tecnologia, e aperfeiçoar a informação para que o participante possa estar bem informado”. Ele destacou ainda o profissionalismo do sistema e a disseminação educacional. “Estamos no caminho certo. Precisamos que a informação chegue para que possamos poupar mais e poupar melhor”.

Rodrigo Sisnandes, Diretor Executivo e responsável pelo Colégio de Coordenadores de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp, disse que a Abrapp, junto às suas associadas, fez um planejamento estratégico com base em um reposicionamento do segmento e uma mudança cultural forte, com a democratização do acesso a uma renda qualificada de longo prazo. “Preciso ter uma proteção maior de um número cada vez mais alto de pessoas”. Segundo ele, cada vez mais um número grande associadas tem entendido a importância de ajustar a forma de disseminar seu produto previdenciário. “Esse debate sobre a Resolução nº 32 é fundamental para a expansão do segmento, uma vez que é preciso comunicar, tendo pessoas acompanhando sua poupança previdenciária de forma digital”. Ele destaca que a transparência é fundamental para todos e que as entidades precisam se preparar para atender à Resolução 32 no prazo e traçar um plano, podendo identificar as dificuldades na implantação.

Devanir Silva, Superintendente Geral da Abrapp, destacou que ainda que em pesquisa realizada pela Abrapp e concluída no final de agosto, foram identificados desafios na adaptação das entidades em relação ao atendimento da norma, entre eles a questão do simulador de benefícios, sítio eletrônico, RAI e formatação dos demonstrativos de investimentos. Assim, a comunicação com a Previc se torna essencial na busca por superar essas dificuldades e garantir adequação à norma.

Previc – Tratando sobre os objetivos e oportunidades para as EFPCs com a Resolução CNPC nº 32, Nádia de Moura Chagas Souza, Ouvidora-Chefe da Previc, explicou o histórico da norma, que veio da Resolução CGPC nº 23, de 2006, quando todo o sistema entendeu a importância da atualização da Resolução. “Foi inevitável a necessidade de revisão. A Instrução Previc nº 13, de 2014, que vinha trazendo procedimentos de aplicação da Resolução 23, trouxe insumos para a elaboração da Resolução 32. A tendência é que as entidades fortaleçam uma comunicação mais digital com seus participante. Um dos objetivos da norma é promover a modernização dessa forma de comunicação. O que na Resolução 23 era uma possibilidade, aqui se torna uma máxima”, disse Nádia.

Essa modernização e uso das plataformas digitais permite que os participantes tenham informações de maneira mais célere, destacou Nádia, podendo avaliá-las sem necessidade de deslocamento ou de papel. “Nesse momento de pandemia, essa é uma questão bastante importante”. Ela disse ainda que a norma visa aprimorar o fluxo de informações. “Entendemos que informação é primordial para o sistema. A informação diligente e ativa vai levar muitos ganhos aos participantes”. Nádia ressaltou que a norma também objetiva incentivar a transparência. “Essa é a questão mais importante nesse momento, permitindo que o participante planeje e gerencie melhor as economias para a aposentadoria. A confiabilidade do sistema faz com que ele alcance mais pessoas, mais famílias, e isso é um ciclo virtuoso, por isso a transparência é o objeto mais importante da norma”, reforça.

A Resolução foi montada em quatro capítulos, sendo que o Capítulo I fala sobre as Diretrizes da norma; o Capítulo II, sobre Transparência Ativa; o Capítulo III, sobre Transparência Passiva; e o Capítulo IV trata das Disposições Finais. Nádia destacou que a Previc entende que a necessidade de adequação à Resolução pode ter deixado as entidades apreensivas, principalmente por ser um sistema heterogêneo. “Estamos sensíveis às dificuldades que as entidades têm apresentado, e em sua maioria elas têm conseguido cumprir o que está disposto na norma. Temos recebido alguns feedbacks, mas quem tiver dificuldades pedimos para que nos procurem”, ressaltou.

Ela destacou ainda que o mais importante é a Previc ver o esforço das EFPC para atender à Resolução. “Estamos vendo qual é o esforço que as entidades estão tendo em atender a Resolução nº 32. O importante é que as entidades se esforcem para cumprir o prazo, pois não há nenhuma previsão dele ser prorrogado, e estamos abertos para auxiliar e conversar sobre o que for possível”, disse Nádia, ressaltando que as dúvidas que chegarem à equipe técnica da Previc auxiliam ainda na elaboração do FAQ sobre a norma. 

Experiência na implantação – Willian Zanchetta, Coordenador de Relacionamento da Fundação Libertas, levou para o debate a experiência de implantação da Resolução na entidade, abordando melhorias e desafios nesse caminho. “Nosso sentimento em relação à Resolução nº 32 é que veio em boa hora, em conjunto com a necessidade de melhoria da nossa comunicação como entidade fechada de previdência complementar”, disse. 

Quando a Resolução chegou na entidade, em dezembro do ano passado, a primeira fase foi de uma conversa com todas as áreas e gerenciais, entregando a Resolução para cada gerência estudar e se adequar. “Esse primeiro contato deu um pouco mais de trabalho em relação ao atendimento da norma. O bate-papo inicial foi um passo importante, mas o segundo passo foi onde entrou o compliance e alguém organizando esse projeto”, disse Willian. Assim, o compliance da entidade acompanhou a implantação da norma envolvendo cada área da entidade. “A gente senta com o compliance até hoje para fazer essa adequação”. 

Dentro dos itens que a entidade precisava se adequar, a Libertas concluiu 42%, com 58% em andamento. “Foi um ano de muitas dificuldades, mas entendemos a importância da Resolução 32 para aperfeiçoar nosso mercado”, ressaltou Willian. Assim, a entidade identificou resistência na forma de implantação em relação a alguns itens. “A primeira foi budget. Teve um trabalho das diretorias e conselhos de remanejo de budget. A segunda foi a questão de mão de obra. Hoje temos no quadro 120 de colaboradores, então imagino que para pequenas entidades não deva ser fácil. Aqui na fundação temos várias gerências e precisamos nos organizar bem. Por isso, a terceira resistência foi a organização do projeto. Outro ponto foi a pandemia de COVID-19, que impactou o mundo como todo, mas para o mercado, as necessidades de adaptação foram muito grandes”. 

Willian destacou ainda a LGPD como um fator de maior necessidade de adaptação. “Tivemos uma oportunidade grande de melhorar a comunicação com o participante. Essa foi uma avaliação positiva para nós e tenho certeza que nosso sentimento é de melhoria. Todas essas melhorias trazidas pela Resolução 32, pela LGPD e pela pandemia foram positivas para nós. Quanto mais informação o nosso participante tiver, mais ele vai conhecer o sistema. Estamos entendendo que cada dia mais necessitamos de mais informação ao participante para que ele saiba que estamos perto”, complementou Willian.

TalkPrev: Webinar promovido pela Comissão de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp discute previdência

TalkPrev: Webinar promovido pela Comissão de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp discute previdência

A Comissão Técnica Leste de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp promove nesta quinta-feira, 29 de outubro, o webinar “TalkPrev – Vamos conversar sobre previdência?”. O evento online ocorre a partir das 15h, com a participação de Luís Ricardo Martins, Diretor Presidente da Abrapp; e Rodrigo Sisnandes, Diretor Executivo e responsável pelo Colégio de Coordenadores de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp.

Na ocasião, será realizada palestra sobre a Resolução CNPC nº 32 com Nádia de Moura Chagas Souza, Ouvidora-Chefe da Previc. Além disso, Willian Zanchetta, Coordenador de Relacionamento da Fundação Libertas, apresentará um relato da entidade sobre as melhorias e desafios para implementação da Resolução.

Faça aqui sua inscrição para o webinar.
Guia auxilia patrocinadoras na elaboração de programas de preparação para aposentadoria de suas equipes

Guia auxilia patrocinadoras na elaboração de programas de preparação para aposentadoria de suas equipes

Foi lançado nesta quarta-feira, 21 de outubro, o Programa de Preparação para Aposentadoria, um Guia elaborado pela Comissão Técnica Centro-Norte de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp. O Guia é direcionado aos RHs e lideranças das EFPC e suas patrocinadoras, e já havia sido divulgado no Encontro de Estratégias e Criação de Valor, sendo oficialmente lançado durante a live, transmitida pelo canal da Abrapp no YouTube e moderada pela coordenadora-suplente da comissão, Paolla Dantas.

Luís Ricardo Martins, Diretor Presidente da Abrapp, destacou que dentro do atual momento de reinvenção, a comunicação e, mais do que nunca, estratégia e criação de valor são fundamentais. “Temos no Guia um conjunto de ideias trazidas por técnicos para reflexão sobre um comportamento pós-período laboral baseado em casos práticos”, destacou. “Se inicia, nesse projeto, um grande auxílio para a montagem do programa de preparação para aposentadoria. E essa preparação precisa começar no início da fase laboral”, reforçou Luís Ricardo.

Rodrigo Sisnandes Pereira, Diretor Executivo e responsável pelo Colégio de Coordenadores de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp, destacou que a preparação para aposentadoria está relacionada à longevidade. “Tudo depende da nossa preparação para uma jornada de vida com sustentabilidade. Precisamos trazer essa discussão para o nosso segmento; o conceito de sustentabilidade definido pela ONU é a capacidade de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer as necessidades da geração futura, e isso deve ser discutido por nós”, disse. “Precisamos nos preparar para uma idade com aposentadoria com qualidade de vida. Estamos vivendo bem mais, isso é muito bom e tem que ser uma boa notícia para todo mundo” disse.

Programa de Preparação para Aposentadoria – Durante a live, Luciana Ribeiro, Coordenadora da Comissão Centro-Norte de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp, explicou que o Guia tem como objetivo ser uma referência na elaboração de um programa de aposentadoria dentro das empresas, e foi elaborado com base no ciclo de vida do empregado, segregando ainda o momento de vida que cada pessoa está passando. “A pessoa que entra na empresa agora está em um momento diferente da pessoa que está na empresa há mais tempo”, disse Luciana, reiterando que a partir dessa separação foram criadas personas. “Isso ajuda a segregar as ações no momento que executamos os programas”.

Os três pilares trabalhados no guia são: relacionamento e emoções; saúde e bem-estar; e educação financeira. “Além disso, o Guia apresenta um conjunto de ações executáveis para que as patrocinadoras coloquem em prática, podemos ser adaptadas considerando um novo cenário em que as empresas estão atuando mais em home office”, reiterou Luciana Ribeiro.

Relacionamento, saúde e bem-estar – Andrea Tomasini membro da comissão e Gerente de Relacionamento com o Cliente na Fundação Ceres, explicou o tema de relacionamento e emoções, um dos tópicos abordados no Guia. Segundo ela, entre os desafios das empresas no tratamento de seus colaboradores atualmente está o relacionamento. “Diante de tantas mudanças do novo normal, quais a estratégias que podem ser adotadas pelas empresas para cultivar esse aspecto tão importante no ambiente profissional?”, questionou. Assim, o Guia aborda os aspectos da saúde mental física e financeira, agrupando as experiências da entidades de previdência da Regional Centro-Norte em ações de psicologia; desenvolvimento de projetos relacionados ao tema família; sobrenome corporativo; e ninho vazio.

Das ações propostas pelo Guia, Andrea explicou que algumas podem ser compartilhadas com todas as pessoas, mas há outras que são específicas para cada uma das personas, apresentando ainda cada uma das persons traçadas no programa. “Esse Guia é recomendado para pessoas que ajudam quem quer se planejar atuando como protagonistas para chegar bem no futuro. Não podemos desperdiçar essa oportunidade de viver bem por muitos anos”, ressaltou.

Marco Aurélio Weyne, membro da comissão e Gerente de Comunicação e Relacionamento do Postalis, apresentou a parte do Guia que trata de bem-estar na aposentadoria. “Nossa ideia é subsidiar e trazer novas ideias para que as áreas das empresas se sensibilizem para essa questão tão importante da preparação para aposentadoria de suas equipes”, disse. “O bem-estar, na nossa proposta, está focado na questão da aposentadoria, mas a ideia é que as empresas tenham um foco nesse tema como uma cultura de conscientização dos seus funcionários”, disse.

O tópico aborda, entre outras coisas, a questão da nutrição, atividades físicas, relacionamentos interpessoais, controle de estresse, etc. “Chamamos atenção ainda para a construção dessa cultura de se buscar, através de ações, a conscientização de suas equipes na questão do bem-estar”, explicou Marco Aurélio. “O Guia mostra que isso pode ser evidenciado pelas equipes de RH das companhias às suas equipes”, reiterou.

Educação financeira e previdenciária – Luciana Ceylão, membro da comissão e Coordenadora Administrativa da Fundação Regius, abordou a parte de educação financeira e previdenciária do Guia. “É fundamental a gente fomentar a cultura previdenciária e ajudar os colaboradores e patrocinadores, junto às suas equipes de RH, a estruturarem um programa como esse”, ressaltou. “Temos a premissa de preparar os funcionários desde o momento que eles chegam na empresa, visando a proteção social do empregado”.

Segundo Luciana Ceylão, a educação financeira e previdenciária é fundamental para levar os planos aos participantes junto às patrocinadoras e instituidoras. “O Guia traz algumas ações para mostrar ao empregado que, com planejamento e organização, é possível ele garantir uma renda adicional no futuro, e a preparação para aposentadoria é uma questão essencial para o planejamento familiar”. Luciana Ceylão reiterou que esse é um investimento de longo prazo e deve ser cuidado o quanto antes, proporcionando a segurança financeira necessária para uma aposentadoria tranquila.

Ela disse ainda que a ideia é que patrocinadores e instituidores desenvolvam planos ao longo da carreira dos profissionais, reciclando esse conhecimento. “Precisamos criar essa conscientização. Planejamento e esforço aliado ao trabalho é o caminho mais curto para se ter sucesso financeiro”, afirmou Luciana Ceylão, explicando as vantagens da previdência complementar nesse caminho, entre elas a formação de poupança com segurança, garantindo, na inatividade, um padrão de vida muito próximo ao da vida laboral.

Luciana reiterou que para as empresas, um plano de previdência é um benefício oferecido ao seu empregado. “Isso tem que estar, de alguma forma, dentro das ações de treinamento e de desenvolvimento dos empregados”, disse, reforçando que esse benefício ajuda na relação entre empregado e empresa, se tornando um diferencial e permitindo complementar renda. Para auxiliar nesse sentido, o programa separou sugestões de ações especificamente na área de educação financeira e previdenciária para cada persona traçada no Guia.

Novo olhar – Marisa Santoro Bravi, Secretária Executiva da CT Estratégias e Criação de Valor, reiterou que o Guia proporciona um novo e diferenciado olhar para o aprimoramento dos programas de preparação para aposentadoria. “Passamos a ver a necessidade do empregado em cada fase de sua vida, ajudando a promover o despertar para que ele possa construir seu futuro”, disse.

Segundo Marisa, o momento atual, de desafios e mudanças nas entidades, patrocinadoras e instituidoras, reforça a necessidade das pessoas. “Para abraçar esses desafios, o que move a roda para que a engrenagem ande são as pessoas”, ressaltou. “Esse evento propõe que cada um de nós realmente passe pela vida fazendo a diferença”, complementou Marisa.

Acesse o Guia por meio do QR Code abaixo:

Live: Programa de Preparação para Aposentadoria

Live: Programa de Preparação para Aposentadoria

Nesta quarta-feira, 21 de outubro, das 15h às 16h30, será realizada a live de lançamento do Programa de Preparação para Aposentadoria, um Guia elaborado pela Comissão Técnica Centro-Norte de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp. O Guia já foi divulgado no Encontro de Estratégias e Criação de Valor, mas será oficialmente lançado na live, que terá a presença de Luís Ricardo Martins, Diretor Presidente da Abrapp; e Rodrigo Sisnandes Pereira, Diretor Executivo e responsável pelo Colégio de Coordenadores de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp.

Na live, Luciana Ribeiro, Coordenadora da Comissão Centro-Norte de Estratégias e Criação de Valor da Abrapp, fará a apresentação do Guia, que tem como objetivo auxiliar a patrocinadora para que ela incentive o participante na percepção da importância e na aplicação do planejamento para o momento da aposentadoria.

A live terá ainda apresentações de demais membros da comissão, incluindo encerramento com Marisa Santoro Bravi, Secretária Executiva da CT Estratégias e Criação de Valor. A transmissão ocorrerá por meio do canal da Abrapp no YouTube. Acesse aqui.

Newsletter Abrapp em Foco

Cadastre-se e fique por dentro de tudo que acontece no Grupo Abrapp e em sintonia com os fatos mais relevantes do setor.